quinta-feira, 28 de junho de 2012

Morte do violeiro Dércio Marques

O Brasil e o mundo perderam hoje, às 8h, vítima de infecção generalizada, após cirurgia, o grande artista DÉRCIO MARQUES. Violeiro, cantor, intérprete e compositor – muito pouco para descrever a riqueza deste mestre mineiro de Uberlândia, cidadão do mundo, baluarte da cultura popular, da natureza bruta destas terras. O corpo será cremado em Salvador.
Marques ficou conhecido em Vitória da Conquista, principalmente, por dividir palco com Elomar Figueira em várias apresentações.
“Ah, Já Fiz Versos De Tributo, Hoje Só Somente Escuto,
Não Tributo Mais Ninguém; Cada Rosa Seu Perfume,
Ninguém Lava as Mesmas Mãos,
Ninguém Canta Com a Mesma Voz!
Ontem a Lua Foi Airosa, Toda Rosa Perfumosa,
Mas o Tempo Deu-me Tempo Prá Pensar
Ah, E Eu Seguisse a Cada Passo, Cada Traço Do Pincel,
Cedo ou Tarde Eu Ia Ver, Escorregar Na Tinta Fresca,
Me Mesclar Com a Cor Vermelha, Eu Iria Me Perder.”
(Dércio Marques)
Fonte: Blog Baião de Dois
Blog Baião de Dois

Plantando ipê amarelo na Lagoa do Nado! Cantoria pro Mestre Dércio Marques, um truvejo! Inté mais cumpade Dércio...



Comente e passe pra frente!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Márcia Tauil é uma das estrelas do novo CD do mestre Menescal


Roberto Menescal, ícone da Bossa Nova, lança seu mais recente trabalho, o CD “Elas cantam Menescal”, no qual convida quatro cantoras radicadas em Brasília, admiradoras de suas composições, para interpretar suas canções. Prestes a completar 75 anos, com uma carreira brilhante, Menescal considera este trabalho “mais um presente que a vida me deu”.

O projeto foi inicialmente capitaneado por Márcia Tauil, amiga de Menescal e companheira de outros shows. Juntaram-se a ela Sandra Duailibe, que também já havia realizado gravações com Menescal, Cely Curado – cantora com vasto currículo e larga experiência musical – e Nathália Lima, a caçula, cujo talento é reconhecido na capital e fora dela. A diversidade na interpretação das cantoras, com características marcantes e distintas entre si, dá o “tom” do trabalho.

As canções são de autoria de Menescal, em parceria com compositores da atual geração e de antigos parceiros, sendo quatro delas inéditas, um presente do mestre para as cantoras.

A produção musical do CD e os arranjos foram realizados pelo próprio Roberto Menescal, sob a produção executiva de Marizan Fontinele. Além de assinar os arranjos, Menescal participa da execução de todas as faixas com sua guitarra. Junto com ele, gravaram conceituados músicos do Rio de Janeiro: Adriano Souza (piano e teclados), Adriano Giffoni (contrabaixo), João Cortês (bateria), e Rodrigo Sha (saxofones e flautas).

O CD traz, entre outras, as canções “Você”, “Nós e o Mar”, “Copacabana de sempre” (parceria com Ronaldo Bôscoli), “Amanhecendo” (parceria com Lula Freire), “Brasil precisa balançar” (parceria com Paulo César Pinheiro), essas já conhecidas. Entre as novas composições, destaca-se “Clube da Bossa”, em parceria com Márcia Tauil, um presente para o Clube da Bossa do Brasil, localizado em Brasília.
 Fonte: ass. imprensa

Comente e passe pra frente!

domingo, 24 de junho de 2012

12 Sintomas do câncer da Mama

Clique na foto pra ampliar!
Comente e passe pra frente!

sábado, 23 de junho de 2012

MinC lança prêmio Culturas Indígenas

Lançamento ocorre dentro da programação da Cultura na Rio+2o
Foto: Luciana Avellar
Rio de Janeiro – A Secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SCDC/MinC), Márcia Rollemberg, lançou hoje (21), no Galpão da Cidadania, a 4ª edição do Prêmio Culturas Indígenas. A cerimônia faz parte da programação do Seminário de Culturas Indígenas iniciado ontem.

Para a secretária, o prêmio é uma forma de “garantir o direito de expressão cultural” e levar a cultura indígena aos demais segmentos da sociedade. “É um reconhecimento em relação às atividades que fortalecem a identidade cultural dos povos indígenas, uma forma de dar visibilidade às etnias indígenas”.
Segundo Márcia Rollemberg, outro dado importante é o fato de que a Lei Rouanet está sendo aplicada para valorizar a cultura indígena. “Com o patrocínio da Petrobrás, está se usando os recursos da renúncia fiscal para fortalecer a identidade cultural dos povos indígenas”.
O prêmio foi criado pelo MinC a partir de uma proposta do colegiado setorial das Culturas Indígenas junto ao Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC). O objetivo da premiação é fortalecer as expressões culturais e a identidade dos povos indígenas em todo o país.
A cada edição é homenageada uma liderança. Raoni Metuktire, da etnia Caiapó, líder que tem se destacado por sua luta em defesa dos direitos e dos modos de vida indígenas e pela preservação das florestas e rios da Amazônia, é o homenageado desta edição do prêmio.
Texto: Ascom/MinC
Comente e passe pra frente!

Terra nós devemos protegê-la

"Respiramos todos um só ar, bebemos todos a mesma água, vivemos todos em uma só Terra. Nós devemos protegê-la." [Cacique Raoni]

Comente e passe pra frente!

Técnica aprimorada de tratamento do vitiligo é apresentada durante encontro em Brasília

Brasília - O dermatologista do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) em Brasília Eugênio Reis disse que a técnica de tratamento do vitiligo, apresentada pelo médico indiano Davinder Parsad durante encontro em Brasília, existe desde 1987, mas era muito cara e inviável para os médicos brasileiros. Entretanto, nos últimos cinco anos, com o avanço da biologia molecular e a substituição de certos reagentes, o tratamento tornou-se mais barato.
O aprimoramento da técnica foi apresentado por Parsad durante o 14º Congresso Brasileiro de Cirurgia Dermatológica, promovido nesta semana pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), que reuniu cerca de 2.500 médicos do Brasil e convidados estrangeiros. O encontro termina hoje (23). O objetivo é divulgar os avanços de técnicas de tratamento e tornar os profissionais mais atualizados para cuidar dos pacientes, sobretudos aqueles que não respondem às técnicas clássicas.
“No procedimento tradicional, além do uso de pomadas e remédios, são retiradas partes da pele de área saudável do corpo e transplantadas para a área atingida pela doença. Entretanto, a técnica é agressiva, pode deixar cicatrizes e não garante bons resultados. Com o aprimoramento do transplante dos melanócitos, a área atingida fica com uma coloração mais uniforme e harmônica, depois de quatro a seis semanas. Sem contar que o procedimento é muito menos agressivo do que o tradicional”, esclareceu.

O vitiligo é uma doença autoimune causada pela formação de anticorpos que matam os melanócitos (células que dão pigmentação à pele), gerando manchas brancas. O dermatologista indiano aperfeiçoou o método de extração de melanócitos de áreas saudáveis do corpo para serem transplantadas em áreas atingidas pela doença. Durante o procedimento, é retirado um pequeno e fino fragmento de pele de uma área saudável do corpo do paciente. Depois disso, são extraídas as células de pigmentação desse fragmento. A área atingida pelo vitiligo é raspada e os melanócitos são colocados sob a pele afetada.

“O vitiligo é uma doença genética, que pode ser precitada por fatores ambientais como o estresse. Geralmente, aqueles que sofrem com a doença tendem a ser mais ansiosos, o que pode agravar o quadro. É uma enfermidade que compromete a qualidade de vida da pessoa, porque causa certo desequilíbrio psicológico. O paciente passa a se limitar, a restringir a própria vida, evitando ir a certos lugares onde será mais exposto. Em alguns casos, para de trabalhar e deixa até de sair de casa”, contou.

No campo estético, uma técnica divulgada no congresso foi o transplante capilar e de sobrancelhas. O procedimento retira folículos capilares de uma área normal, geralmente um pequeno pedaço do couro cabeludo da área abaixo da nuca, e transplanta para a região sem cabelo.

Segundo o especialista em transplante capilar (tratamento clínico e cirúrgico das alopécias) Francisco Le Voci, esse procedimento é indicado para pacientes calvos, que sofreram queimaduras, doenças ou acidentes que impedem que o cabelo volte a crescer na área afetada. “A técnica de transplante de sobrancelha ajuda as pessoas que se sentem incomodadas por terem perdido a expressividade a voltar a ter expressões faciais, uma das funções dos pelos dessa região”, explicou.

Uma variante dessa técnica é a extração de unidade folicular, em que a equipe médica extrai as raízes, uma a uma, com um aparelho, para serem implantadas no paciente. Entretanto, a técnica não pode ser utilizada em todos os casos. “É mais demorada e oferece quantidade menor de pelos, então ela só pode ser usada em algumas situações, e para o transplante”, acrescentou Le Voci.
Fonte: Agência Brasil
Edição: Graça Adjuto
Comente e passe pra frente!

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Festival A Cena Tá Preta está com inscrições abertas para a sua 4ª edição

O Festival A Cena Tá Preta, promovido pelo Bando de Teatro Olodum, Teatro Vila Velha e o Coletivo de Produtores do Subúrbio, está com inscrições abertas para a sua quarta edição.
As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até 31 de julho. Serão selecionados, entre os dias 09 e 18 de novembro, 12 espetáculos nacionais e internacionais de teatro, dança ou música, além de dois textos teatrais inéditos para realização de leituras dramáticas.
A mostra visa a valorização da arte baseada na temática afro-brasileira, revelando a diversidade da estética negra, nas variadas linguagens artísticas. Além das apresentações e exibições de filmes, o Festival contará com debates e mesas redondas com pesquisadores.
Mais informações e a ficha de inscrição encontram-se no site: http://www.acenatapreta.com.br/
Com informações do Correio Nagô.

Centro de pesquisa lança jogo educativo “Pesque & Salve”


Objetivo do jogo feito por pesquisadores do
 Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento
 de Materiais Cerâmicos é estimular a
conservação da água e a pesca esportiva

Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos (CMDMC), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP, lançou o jogo educativo “Pesque & Salve”.
O objetivo do jogo é estimular a conservação da água e a pesca esportiva. O jogador tem como meta pescar o maior número de peixes de modo esportivo e como recompensa poderá despoluir os rios, riachos e lagos, criando um ambiente saudável a cada meta vencida.
O jogo foi desenvolvido pela Aptor Games em parceria com o CMDMC. O CMDMC tem sede no Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Araraquara e é coordenado pelo professor Elson Longo.
O CMDMC desenvolveu diversos jogos eletrônicos educativos, que estão disponíveis gratuitamente em http://www.ludoeducajogos.com.br/. O site já foi acessado por mais de 2,5 milhões de pessoas.
Pesque & Salve: www.ludoeducajogos.com.br/pesque-e-salve.

Fonte: Agência FAPESP

Comente e passe pra frente!

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Pesquisa e produção de fitoterápicos ganham reforço

Serão investidos mais R$ 6,7 milhões na produção desse tipo de medicamento, em 2012. Mostra do Ministério da Saúde na Rio+20 apresenta plantas medicinais e fitoterápicos, como opção terapêutica à população
Para fortalecer o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, o Ministério da Saúde repassará R$ 6,7 milhões para 12 municípios. A medida está prevista em portaria publicada, nesta quarta-feira (20), no Diário Oficial da União. Os recursos serão aplicados em projetos locais de produção e distribuição no Sistema Único de Saúde (SUS) de plantas medicinais e fitoterápicos.
O montante deverá ser investido em aquisição de equipamentos e materiais, contratação de pessoal e qualificação técnica para promover a interação e a cooperação entre os agentes produtivos de plantas medicinais e fitoterápicos. A iniciativa tem o propósito de desenvolver a produção de insumos de origem vegetal, preferencialmente com cultivo orgânico, considerando a agricultura familiar, o conhecimento tradicional e o científico. “O objetivo do ministério é aliar a saúde à sustentabilidade e ao desenvolvimento socioeconômico do país. Queremos mostrar que é possível desenvolver a cadeia produtiva com sustentabilidade”, explica o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha.
Os municípios que apresentaram projetos de produção e distribuição de plantas e fitoterápicos: Betim (MG), Botucatu (SP), Brejo da Madre de Deus (PE), Diorama (GO), Foz do Iguaçu (PR), Itapeva (SP), João Monlevade (MG), Pato Bragado (PR), Petrópolis (RJ), Rio de Janeiro (RJ), Satanrém (PA) e Toledo (PR).
RIO+20 – Como forma de valorizar a biodiversidade do Brasil e seu uso sustentável, o Ministério da Saúde participa da conferência Rio+20 com uma mostra sobre plantas medicinais e fitoterápicos, localizado no Pier de Mauá. Os visitantes têm acesso a informações sobre o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, além de conhecerem desde o processo de cultivo dessas plantas, passando pela extração, ao uso da fitoterapia no SUS. A mostra segue aberta ao público até sexta-feira (22), quando encerra a conferência.
Para o secretário Carlos Gadelha, o desenvolvimento dos fitoterápicos no Brasil incorporam as três dimensões do desenvolvimento sustentável. “Os fitoterápicos aparecem como uma oportunidade para o Brasil mostrar que persegue um modelo de desenvolvimento que articula a dimensão econômica, social e ambiental, numa mesma iniciativa”, avalia Gadelha.
Lançado em 2008, o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos foi criado para garantir à população o acesso a plantas medicinais e fitoterápicos, seguros e eficazes, ampliando as opções terapêuticas e fortalecendo o complexo produtivo e o uso sustentável da biodiversidade.
Os 12 fitoterápicos ofertados no SUS, com financiamento de Municípios, Estados e da União, são industrializados, e têm registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); portanto, com eficácia e segurança comprovadas. O Ministério da Saúde orienta o uso desses produtos apenas na atenção básica.
FITOTERAPIA – Os benefícios da fitoterapia são reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Periodicamente, o órgão divulga recomendações para incentivar os países a formularem políticas e regulamentações nacionais referentes à utilização de medicamentos tradicionais de eficácia comprovada. A OMS também recomenda a exploração das possibilidades de se incorporar os detentores de conhecimento tradicional às atividades de atenção primária em saúde, fornecendo-lhes treinamento correspondente.

RELAÇÃO DE FITOTERÁPICOS OFERTADOS NO SUS:

Nome popular
Nome científico
Indicação
Espinheira-santa
Maytenus ilicifolia
Dispepsias, coadjuvante no tratamento de gastrite e úlcera duodenal
Guaco
Mikania glomerata
Expectorante e broncodilatador
Alcachofra
Cynara scolymus
Colagogos e coleréticos em dispepsias associadas a disfunções hepatobiliares.
Aroeira
Schinus terebenthifolius
Produtos ginecológicos antiinfecciosos tópicos simples
Cáscara-sagrada
Rhamnus purshiana
Constipação ocasional
Garra-do-diabo
Harpagophytum procumbens
Antiinflamatório (oral) em dores lombares, osteoartrite
Isoflavona-de-soja
Glycine max
Climatério (Coadjuvante no alívio dos sintomas)
Unha-de-gato
Uncaria tomentosa
Antiinflamatório (oral e tópico) nos casos de artrite reumatóide, osteoartrite e como imunoestimulante
Hortelã
Mentha x piperita
Síndrome do cólon irritável
Babosa
Aloe vera
Queimaduras e psoríase
Salgueiro
Salix alba
Dor lombar
Plantago (Plantago ovata Forssk.) habitual.
Coadjuvante nos casos de obstipação intestinal
Tratamento da síndrome do cólon irritável
Pó para dispersão oral
Fonte: Ministério da Saúde
Por: Rhaiana Rondon, da Agência Saúde

Comente e passe pra frente!

I Semana de Cultura, Cidadania e Ecologia dos Povos Tradicionais de Terreiros – Por uma Cultura Viva sem Fronteiras

A Rede Nacional de Cultura Ambiental Afro-brasileira promove a I Semana de Cultura, Cidadania e Ecologia dos Povos Tradicionais de Terreiros. O encontro que tem por objetivo promover justiça social e ambiental será realizado durante a Rio + 20, na Cúpula dos Povos, no Aterro do Flamengo, até o dia 23 de junho, no Rio de Janeiro.
A Cúpula dos Povos tem por objetivo alertar o planeta sobre os riscos sinalizados no processo da Rio+20, questionando os limites de compreensão dos líderes políticos e o posicionamento do sistema capitalista acerca das crises que precisam ser enfrentadas neste século XXI.
Comunidades tradicionais, povos de terreiros, povos indígenas, griôs, quilombolas, pontos de cultura, agentes e ativistas culturais se organizam para aproveitar esse espaço de convergência e aglutinação de um amplo Movimento Social da Cultura que se organiza através de diversas redes culturais nacionais e internacionais.
Compreendendo a importância da cultura para pensarmos um novo modelo de envolvimento sustentável de maneira profunda, estrutural e orgânica, o encontro será um espaço aberto para vivenciar, visibilizar, celebrar, apresentar caminhos, trocar saberes, fazeres e tecnologias, intensificar diálogos e propor soluções simples, viáveis e eficientes – muitas das quais são praticadas há séculos pelas comunidades tradicionais – oferecendo assim, conhecimentos e práticas reais para a construção de uma sociedade global baseada na justiça social e no equilíbrio ambiental.
Terreiros Digitais – Durante toda a Cúpula, comunidades de terreiro receberão informações via internet, com o objetivo de propor para a dinamização e o empoderamento dos participantes no debate e disseminação da cultura digital através da ancestralidade. Acompanhe pela Rádio Stream Mojubá, Laroie, Exu! Conexão Oyá Togun, sempre às 18 horas.
Candomblé e Direitos Humanos, Espaço Xangô – Direito Sagrado, Ouvidoria de crimes contra cultura e religião são alguns dos temas tratados pela programação que transmite amplexos radiofônicos emitidos por Terreiros de todo o Brasil.
Programação da I Semana de Cultura:
20 de junho – quarta
9h30 – Roda de Acolhimento de Cultura Tradicional dos Povos de Terreiros
10h – Mobilização Global
Mãe Beata de Yemanjá e Wole Soiynka – Mestres de Cerimônias das Culturas Tradicionais
14h – Marcha Mundial dos Povos (Candelária)
18h – Programação Cultural
Show Barravento
Grupo Cultural O Som das Comunidades: Entra na Roda
21 de junho – quinta
9h30 – Roda de acolhimento Cultura Tradicional dos Povos de Terreiros e povos das Florestas
10h – Dinamicas Glocais – Cultura, Cidade, território e modelos de desenvolvimento
Camilo Bogotá – subdirector de Prácticas Culturales – Secretaría Distrital de Cultura, Recreación y Deporte de Bogotá
Edwin Cubillos – Gestor de Cultura Viva Comunitaria – Secretaría Distrital de Cultura, Recreación y Deporte de Bogotá
Hamilton Faria – Instituto Pólis (SP)
Atílio Alencar – Casa FDE PoA
12h – Intervenção teatral: Centro de Teatro do Oprimido: Direito à Moradia
12h30- Oficina Percussão da Maré
15h – Roda de Conversa – Artes Públicas e Direito à Cidade
Amir Hadad – Teatrólogo e Diretor do Grupo Tá Na Rua
Reimont Ottoni – Vereador e Presidente da Frente Parlamentar de Cultura da Cidade do Rio de Janeiro
Giuseppe Cocco – Universidade Nômade/ UFRJ
Zeca Ligiéro- NEPAA/ UNIRIO
Programação Artística:
18h – Tá na Rua ” Santo Antônio de Lisboa e a Sereia do Mar”
20h30 – Up with people
22 de junho – sexta
Kao, Xango!
9h30 – Roda de acolhimento Cultura Tradicional dos Povos de Terreiros e povos das Florestas
10h às 12h -Dança Palco Pequeno – Iara Cassano
13h – Almoço
15h – Assembleia Cultural dos Povos – Direitos Culturais – Cultura como Bem Comum
23 de junho – sábado
14h – Reunião da Rede Nacional de Cultura Ambiental Afro-brasileira
Encaminhamentos, finalização de sistematização dos documentos
20h – Festa de Xango
Fonte: Pontão de Cultura Guaicuru
Comente e passe pra frente!

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Garrafas plásticas viram arte na praia de Botafogo


Rio de Janeiro - Obra feita com garrafas plásticas montada na praia de Botafogo
 
Fonte: Agencia Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Comente e passae pra frente!


Manual de Etiqueta para enfrentar o aquecimento global

Idéias para enfrentar o aquecimento global e outros desafios da Humanidade
 Como o nosso dia a dia, pode ser um tanto quanto corrido, e não temos tempo para parar para pensar em nossos costumes, agimos sempre inconscientes do que estamos fazendo, e como estamos levando a nossa vida. [às vezes no automático:))] O Site Planeta Sustentável disponibiliza um manual com idéias criativas para enfrentarmos o aquecimento global e outros desafios da atualidade.

As rotinas sempre nos acompanharão, mudar os paradigmas de costumes e rotinas pode tornar a nossa vida mais integrada e nos levar a estar mais alinhados com os novos tempos.

Que tal tentar uma nova.;))

Lançado em novembro de 2007, com 33 dicas, o Manual de Etiqueta Sustentável registrou a maior tiragem da Editora Abril - 2,5 milhões. Dois anos depois, a segunda edição da cartilha impressa ganhou 87 ideias, uma versão on line em forma de teste e traduções em inglês e espanhol. Agora, o Manual de Etiqueta vira aplicativo para iPhone e lança nova cartilha com mais 65 dicas, também disponíveis para download. Nesta página, você acessa tudo - sua história e versões – para tornar sua rotina ainda mais sustentável.

Use e espalhe!
 http://planetasustentavel.abril.com.br/pdf/manual-etiqueta-sustentavel-30-2011.pdf

Comente e passe pra frente!

Circuito Brasil Sonoro 2012


O Circuito Brasil Sonoro tem a proposta de realizar apresentações musicais dos mais diversos gêneros e tendências que compõe a diversidade da música brasileira. Samba, choro, moda de viola, musica sertaneja, Rock nacional, baião, MPB e ritmos tradicionais oriundos da cultura popular são alguns exemplos de trabalhos que serão contemplados pela iniciativa. As apresentações serão realizadas em rodoviárias, praças, feiras, bibliotecas, Espaços Culturais e locais públicos que sejam de fácil acesso para a população do Distrito Federal.

 LANÇAMENTO DO PROJETO:
23/06 (SÁBADO)

 FEIRA DA TORRE – PLANO PILOTO
9h - CARLINHOS PIAUÍ
11h - CORAÇÃO CALANGO





24/06 ( DOMINGO) 
 FEIRA CENTRAL DA CEILÂNDIA
9h - GILSON ALENCAR
11h - CHICÃO E OS BRAVOS DO NORDESTE

CIRCUITO BRASIL SONORO
Lançamento do projeto
Dia: 23 de junho de 2012
Local: Feira da Torre – Plano Piloto
Horas: a partir das 9h

CLASSIFICAÇÃO LIVRE E ENTRADA FRANCA
Informações:
Associação cultural SONART
3022 4300
8492 0361 (Rodrigo)
canal Sonart youtube
http://www.youtube.com/sonartcultura

domingo, 17 de junho de 2012

Crianças Hiperativas e a Meditação



O uso de medicina alternativa e complementar como tratamento para crianças com Distúrbio de Déficit de Atenção e Hiperatividade (DDAH) está disseminada, mas pouco se conhece sobre a efetividade de muitas dessas terapias. Esse estudo investigou a meditação como um método de tratamento familiar para crianças com DDAH (Distúrbio de Déficit de Atenção e Hiperatividade), usando as técnicas da meditação da Sahaja Yoga. Pais e filhos participaram em um programa de duas vezes por semana em sessões clínicas e meditação regular em casa.

Os resultados mostraram melhora no comportamento das crianças, na auto-estima e na qualidade de relacionamentos. As crianças descreveram os benefícios em casa (melhores padrões de sono, menos conflitos). Os pais relataram sentir-se mais felizes e menos estressados e mais capazes de gerenciar o comportamento de seus filhos. As indicações dessas investigações preliminares são que a meditação da Sahaja Yoga pode oferecer às famílias um instrumento de controle efetivo para tratamento orientado à família de crianças com DDHA.
Comente e passe pra frente!

sábado, 16 de junho de 2012

Eles querem a paralização da construção de Belo Monte!


Foto: Atossa Soltani/ Amazon Watch / Spectral Q
Belo Monte, Rio Xingu, 15 de junho de 2012 – Trezentas pessoas entre povos indígenas, agricultores, pescadores, ativistas e moradores afetados pela construção da Hidrelétrica de Belo Monte ocuparam essa manhã uma das ensecadeiras de Belo Monte – pequena barragem próxima da Vila de Santo Antônio. Abriram um canal com picaretas, pás, enxadas, deixando o Rio Xingu correr livre novamente. Moradores do... Xingu fizeram uma faixa humana com as palavras “Pare Belo Monte”. No início da Rio +20, enviam uma mensagem da imensa devastação social e ambiental que este projeto está causando a região, alertando que hidrelétrica não é energia limpa. A mensagem dos povos é “Energia que não respeita a lei, a população local, violenta direitos indígenas, destrói comunidades e o meio ambiente não pode ser limpa”. Eles querem a paralização da construção de Belo Monte!
 Comente e passe pra frente!

Brasileiro consome cinco quilos de agrotóxicos por ano


 
Foto: Agência Brasil
A venda de agrotóxicos no Brasil em 2010 teve um aumento de 190% em comparação a 2009. Isso significa que cada brasileiro consome cerca de cinco quilos de venenos agrícolas por ano. Os dados fazem parte de um estudo da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), baseado em informações disponibilizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O estudo foi apresentado hoje (16) na Cúpula dos Povos pela médica sanitarista Lia Giraldo da Silva Augusto, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).Ela credita o aumento na venda dos agrotóxicos ao bom momento do mercado agrícola, puxado principalmente por uma forte demanda chinesa. O produto que mais recebe venenos é a soja transgênica, que precisa do glifosato para produzir, em um tipo de “venda casada”, explicou a pesquisadora.
“Este ano a Abrasco decidiu construir um dossiê sobre o tema do agrotóxico e os impactos na saúde e no meio ambiente. O trabalho marca os 40 anos de Estocolmo [primeira conferência das Nações Unidas sobre o meio ambiente], os 20 anos da Eco92 e os 50 anos do lançamento do livro Primavera Silenciosa, de Rachel Carson.”
Segundo a médica, o uso de agrotóxicos no Brasil faz parte do modelo produtivo adotado na agricultura nacional. “Este modelo da agroindústria é todo sustentado no pacote da revolução verde, que é baseada em uma agricultura químico-dependente. O agrotóxico é parte desse modelo. Por causa disso, desde 2008 o Brasil ocupa o primeiro lugar no consumo de agrotóxicos, segundo dados levantados pela Abrasco na Anvisa.”
Os dados podem ser acessados na página da Abrasco.
Fonte: Vladimir Platonow - Agência Brasil
Comente e passe pra frente!

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Operação "BELO MONTE NÃO!


Use esta foto no seu perfil, até 10 de janeiro de 2012 para mostrar solidariedade com os povos da Amazônia que a nossa indiferença dedicada ao genocídio anunciado. Este não é um jogo.
1 - clique com o botão direito na imagem e salve-o em seu computador
2 - Escolha-o como uma imagem no perfil
3 - Passe o retrato do novo perfil e clique em "Trocar Imagem"
4 - Na foto, clique em "Editar Miniatura" e arraste a miniatura para revelar o slogan completo. Muito Obrigado!
Comente passe pra frente, participe!

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Cerimônia do Povo Sagrado da Aldeia Kari-Oca

RIO — Cerca de 350 indígenas brasileiros e de outros países, como México e Canadá, participaram, no final da tarde desta quarta-feira, da cerimônia do povo sagrado da Aldeia Kari-Oca, na colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá. São aguardados 1.600 índios para a conferência. Eles vão debater, até o dia 18, questões relacionadas a causa indígena e ao Meio Ambiente. Ainda na Kari-Oca serão realizados debates e apresentações de modalidades esportivas indígenas. Os resultados serão colocados num documento que será apresentado a ONU no dia 18.
 O fogo sagrado tem como significado a iluminação de novos caminhos, e a cerimônia será repetida todos os dias para proteger a Conferência Indígena, que acontece em paralelo à Rio+20. A cerimônia contou com rituais de povos brasileiros, como Guarani, e de estrangeiros, como os Sioux, do norte do Canadá, e da nação asteca, representada pelo menino Xiuhtezcatl Martinez, que tem 12 anos e é do México.
 O líder indígena Marcos Terena, organizador da Kari-Oca, disse que a aldeia está sendo montada na base do “fiado”, porque os recursos prometidos pelo Ministério do Esporte — R$ 1,5 milhão — e Ministério da Cultura — 80 mil — ainda não chegaram. Segundo Terena, os valores foram aprovados, mas ainda não foram repassados.
 As duas ocas tradicionais do Alto Xingu ficaram prontas, mas a oca da sabedoria, uma das mais importantes, ainda está sem cobertura. O mato proveniente da limpeza feita pela prefeitura na área da aldeia também foi jogado pelos caminhões do
município na área do fogo sagrado, alvo de reclamação de Terena.
Leia mais: http://extra.globo.com/​noticias/rio
Comente e passe pra frente!

BELO MONTE - ANÚNCIO DE UMA GUERRA

AGORA É OFICIAL! LANÇAMENTO MUNDIAL DO FILME DIA 17 DE JUNHO NA INTERNET COM EXIBIÇÃO SIMULTÂNEA NO AUDITÓRIO DO IBIRAPUERA - SÃO PAULO - SP.
Documentário com depoimentos e fatos reveladores sobre a maior e mais polêmica obra da atualidade no Brasil, que vem gerando diversas reações na sociedade nacional e internacional.
Descrição
Belo Monte, Anúncio de uma Guerra, que tem 120 horas filmadas ao longo de 3 expedições ao XIngu, contendo depoimentos e fatos reveladores sobre a obra.

Fizemos um trabalho sério e investigativo escutando os vários lados da questão e ficou claro: Belo Monte está sendo imposta pelo governo sem que haja diálogo com os índios e com o resto da sociedade.

Mais do que um filme, queremos que este documentário seja um ato político da sociedade, uma luta pelo acesso à informação e pelo direito de participar das decisões do país.

Para isso e por isso, a edição e finalização desse filme foram financiadas coletivamente por mais de 3429 apoiadores que estão ajudando a espalhar informações sobre Belo Monte na internet.

Contato:

Twitter: @belomonteofilme
Email: belomonteofilme@gmail.com

Ficha técnica

Direção: André D’Elia
Produção Executiva: André D’Elia e Bia Vilela
Direção de Fotografia: Rodrigo Levy Piza e Federico Dueñas
Direção de Som: Teo Villa e Diego Depane
Fotografia Still: André D’Elia, André Souza, Federico Dueñas, Rodrigo Levy Piza, Mauro Moreira, Cacá Meirelles e Mundano
Desenho de som: Thacio Palanca
Motion Grafics: Vital Pasquale
Montagem: Mauro Moreira
Trilha sonora: Beto Villares, Fabio Barros
Assistência de montagem: André Souza
Assistência de câmera: André Souza
Comunicação: Caio Tendolini, Digo Castello, Daniel Joppert e Mundano
Grafite: Mundano
Pôster: Marcos Rodrigues
Consultor de conteúdo: Céu D’Ellia
Site: Via Papel
Empresa produtora: Cinedelia
Co-produção: Duca Filmes e Cinepro/Dot
Ver mais
 
Comente e passe pra frente!
 

CIRCA BRASILINA NESSA SEXTA! AS JUVELINAS NO SAMBA DE COCADA!


CIRCA BRASILINA NESSA SEXTA! AS JUVELINAS NO SAMBA DE COCADA!  Esse projeto é da palhaça Manuela Matusquella, é uma lona rosa, um espaço muito bacana que ela tem movimentado. Vamos fortalecer? Formação com 4 Juvelinas com Forró rabecado e pifado. bora? Quem não puder ir e puder nos ajudar divulgando eu agradeço! Até lá!

Fechando a programação da CiRcA Acústica AS JUVELINAS...
É muita mulher junta... De uma só vez... E elas estão com tudo.

Ao invés de Samba de Coco... Samba de Cocada....

Vem?!

A Circa Brasilina fica na
BR 020 - Km2,5 - Lote 03 - Sobradinho DF
(ao lado da passarela do cond. Inperio dos Nobres)
informacoes:
8464-2544Comente e passa pra frente!

A Mãe Terra está doente e chama todos os seus filhos.

Chega de promessas e de falsas soluções. O Planeta e a Vida não são mercadoria.
A cúpula de chefes de Estado não se importa com as pessoas ou a Terra. Eles só vieram fazer negócios. Nós viemos fazer a História de um mundo novo.

CONCENTRAÇãO 14/06 18h30
Praça Paris - Flamengo - Rio
informações: www.ocupario.org

Comente e passe pra frente!

terça-feira, 12 de junho de 2012

Pobreza e baixa escolaridade estão entre principais causas do trabalho infantil no país


A pobreza e a baixa escolaridade das famílias estão entre as principais causas do trabalho infantil no país, segundo a secretária executiva do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPeti), Isa Oliveira. Atualmente há no Brasil mais de 4 milhões de crianças e adolescentes trabalhando. Na faixa dos 5 a 14 anos, em que a legislação brasileira proíbe qualquer forma de trabalho, o número chega a 1,4 milhão.
“O trabalho infantil reproduz a situação de pobreza e baixa escolaridade na qual os pais dessas criança estão inseridos”, destaca a secretária executiva, no Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, lembrado hoje (12).

Para ela, entre os fatores para que as crianças permaneçam trabalhando está o fato de as famílias não considerarem a escola como uma alternativa. “Principalmente na área rural, há uma grande precariedade educacional, acrescida da precariedade no transporte para que essas crianças cheguem à escola”, lembrou ela.

Segundo o coordenador da organização não governamental (ONG) Repórter Brasil, Leonardo Sakamoto, além da situação de pobreza e de baixa escolaridade, a questão cultural contribui para os índices de trabalho infantil no país. “Esse processo já foi quase que institucionalizado em algumas famílias por causa de uma suposta tradição de formação e caráter que está associada ao trabalho infantil.”

De acordo com Sakamoto, alguns pais acreditam que, pelo fato de eles terem trabalhando e isso ter ajudado na formação do caráter, os filhos têm que passar pela mesma situação. “Muitas famílias acabam colocando a criança no trabalho porque acreditam que é importante, pois tiveram uma formação pessoal de trabalho infantil e não veem que isso não precisa passar de pai para filho.”

Para o coordenador, as famílias não devem ser culpadas pelo fato de as crianças estarem trabalhando. Segundo ele, o Estado é o responsável por fiscalizar e dar condições para que os pais não permitam o trabalho infantil.

“Por mais que a família esteja reproduzindo esse discurso, a culpa não é dela. A culpa é do Estado que não fiscaliza e não dá meios para que essas crianças e essas famílias possam não contar com o trabalho de seus filhos. A culpa não é de quem está tentado sobreviver e que não entende que isso é errado.”

De acordo com o coordenador da ONG, o Estado deve garantir às famílias alternativas de oportunidades como estudo, lazer, esporte e cultura.

onte: Agência Brasil
por: Roberta Lopes
Edição: Juliana Andrade
Comente e passe pra frente!

domingo, 10 de junho de 2012

OS ENAWENÊ-NAWÊ:O QUE A GLOBO NÃO DISSE


Numa produção milionária, com belíssim...as imagens, a emissora global levou ao ar, logo depois do dia mundial do meio ambiente e no ambiente da Rio+20, o programa com a reportagem sobre os Enawenê-Nawê. Pena que muitas questões não foram ao ar, como a grande pressão e invasão das madeireiras da região, que criminosamente tem retirado madeira dos seus territórios. Os Enawenê denunciaram a preocupante e humilhante diminuição dos peixes em função da construção de dezenas de pequenas hidrelétricas no curso do rio Juruena. Além disso, por ocasião da definição dos limites do território desse povo, o governo deixou de fora um dos mais importantes rios, o Rio Preto. Por que até hoje não se reviu essa grave violação aos direitos dos Enawenê?Já se passaram 20 anos do bárbaro assassinato de Vicente Cañas Costa, missionário que vivia com os indígenas no estado de Mato Grosso. Com sinal de perfurações e afundamento craniano, O crime ocorreu porque Cañas apoiava a demarcação da terra Enawenê-Nawê e trabalhava pela saúde deste povo. Um julgamento de três dos acusados de participação no assassinato acabou acontecendo em Cuiabá, sem condenação dos acusados.

Fonte: CIMI
Comente e passe pra frente!

Festival divulga dança contemporânea na periferia paulistana

Circuito Vozes do Corpo
Mostra de Dança Contemporânea
De 05/06 a 01/07/2012
A coreógrafa Gal Martins acredita que a dança contemporânea é revolucionária. Por isso, ela organiza, pelo terceiro ano consecutivo, o Circuito Vozes do Corpo, que leva espetáculos dessa forma de expressão para o Capão Redondo e outros bairros periféricos da zonal sul paulistana. “A dança contemporânea tem por característica quebrar rótulos. Ela veio para quebrar o balé clássico e formas concretas. Quando a gente vem para a periferia, vem com um olhar político, social, crítico, voltado para a realidade das relações humanas”, explica a diretora da Companhia Sansacroma.
Na edição deste ano, 27 companhias de dança, incluindo grupos do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, se apresentam na mostra de quatro semanas, que termina no dia 1º de julho. “O circuito surgiu com a necessidade que a Companhia Sansacroma teve de fomentar a dança contemporânea na periferia, principalmente no Capão Redondo”, explica Gal. O projeto também tem o apoio da Secretaria da Cultura de São Paulo e do Sesc Santo Amaro.

A carência de programação cultural nas partes mais pobres e afastadas da capital paulista é confirmada pelo dançarino e educador Rafael Souza. “Tem muita gente, principalmente o pessoal jovem, que tem vontade de aprender, vontade de ter contato com algum tipo de expressão artística, e falta local. Tanto que quando aparece uma oportunidade, lota”, ressalta. Realmente, na primeira noite do Vozes do Corpo alguns espectadores tiveram que se sentar no chão.

Parte da plateia compareceu devido às ações de formação de público da companhia, que também tem um espaço na região, o Ninho Sansacroma. O trabalho de disseminação dos conceitos de arte e da dança contemporânea é realizado com os professores e alunos de dez escolas da região.

As ações incluem ainda visitas a famílias da comunidade. “Para falar de arte e cultura. [Perguntar] se eles conhecem as programações culturais da região e por que não frequentam - se não conhecem ou não querem. Então, começamos a realizar esse diagnóstico e a divulgar tudo que acontece na região, principalmente no nosso espaço”, explica a diretora do projeto.

O pedreiro Francisco Araújo, de 39 anos, foi um dos que conheceram o projeto pelas atividades desenvolvidas nas escolas. Quando jovem, abandonou os estudos para trabalhar na roça. “ Preferia mais trabalhar no roçado do que estudar e hoje estou aqui, depois de velho, quebrando a cabeça e tentando aprender um pouco”. O espetáculo Dimensão Oculta, que abriu o circuito, foi a primeira apresentação de dança que Araújo viu.

A diretora do Sansacroma explica que as conversas e as ações na comunidade ajudam a aproximar as pessoas da linguagem da dança contemporânea.”Quando eles vêm assistir da primeira vez há um estranhamento, uma coisa do tipo: isso não pertence a mim, prefiro ouvir meu rap, meu samba'”, destaca. “Depois que se desenvolve, existe esse processo de fruição, aí muda um pouco o olhar”, completa.

A programação completa pode ser vista em www.circuitovozesdocorpo.wordpress.com

Fonte: Agência Brasil
Por: Daniel Mello
Edição: Graça Adjuto

Literatura de cordel empolga alunos e promove aprendizagem

Os alunos de Maria Eliana Ferreira da Silva, de Teresina, gostaram muito do trabalho com literatura de cordel que a professora de língua portuguesa desenvolveu, em 2011, na Escola Municipal Marcílio Rangel. A empolgação dos estudantes do oitavo e do nono anos e a receptividade que tiveram em relação às atividades desenvolvidas surpreenderam a professora.

“Todos aceitaram ler e produzir cordéis, até os mais tímidos. Sem dúvida, esse trabalho rendeu bons frutos”, revela Maria Eliana. Ela conta que este ano já foi procurada por alguns alunos, interessados em saber se vão trabalhar novamente com cordel. “Isso, sem dúvida, mostra o quanto a atividade foi significativa para eles, o que, consequentemente, leva a melhorias na aprendizagem”, destaca a professora. Com graduação em licenciatura plena em letras, está há cinco anos no magistério.

Segundo Maria Eliana, o objetivo principal do trabalho que realizou foi de valorizar a cultura nordestina. Além de lerem cordéis feitos pela professora e cordelistas locais, os alunos tiveram que produzir seus próprios trabalhos. As atividades tiveram início com a leitura, expressiva, feita pela professora, de um cordel feito por ela, com elogios aos alunos. Depois, os estudantes tiveram que ler diversos cordéis levados pela professora para a sala de aula. Cada aluno devia ler uma estrofe, em voz alta, para perceber a musicalidade presente nesse gênero textual.

“Depois disso, começamos o trabalho com a análise da estrutura do cordel”, diz a professora. Após a observação das rimas e da musicalidade dos textos, os estudantes passaram para a produção de suas próprias rimas, que depois foram lidas para o restante da turma. “Concluímos as atividades pendurando os cordéis em barbantes e expondo o trabalho para toda a comunidade escolar”, explica Maria Eliana.

No ano passado, ela trabalhou sozinha, mas em 2012 pretende atuar de forma interdisciplinar, em parceria com outros professores. Também pretende aplicar algumas inovações, como levar os alunos para o laboratório de informática e aprofundar o estudo desse gênero literário. Ela quer que os estudantes produzam seus próprios textos e publiquem na internet, numa página que possibilite a divulgação do cordel. “Nesse espaço podemos ler, produzir e expor os nossos cordéis”, salienta a professora.
Fonte: portal do Mec
Por: Fátima Schenini

Saiba mais no Jornal do Professor

Comente e passe pra frente!

Lésbicas e mulheres bissexuais marcham contra a homofobia em São Paulo

10ª Caminhada de Lésbicas e Mulheres Bissexuais do Brasil.

Um grupo de mulheres que defende o direito da escolha de se relacionar com pessoas do mesmo sexo promoveu um ato com o objetivo de tornar a causa delas mais visível à sociedade. “As agressões [que sofremos] são muito veladas e aqui na região da Paulista tem tido muitos casos de homobofia e também lesbofobia”, apontou Márcia Balades, uma das organizadoras da 10ª Caminhada de Lésbicas e Mulheres Bissexuais do Brasil.
A manifestação ocorreu na tarde de hoje (9), na Praça Oswaldo Cruz, no bairro do Paraíso de onde o grupo seguiu em passeata pela Avenida Paulista, ocupando uma das pistas de rolamento. Pelos cálculos de Balades, a expectativa era aqui estivesse cerca de 3 mil pessoas, mas na contagem da Polícia Militar, o número foi bem menor, em torno de 600.

Balades justificou ter organizado o ato um dia antes da tradicional Parada Gay porque esta última é mais voltada para os homens com opção homosexual, embora reconheça que as reivindicações são semelhantes.

Ela defendeu a aprovação do projeto de lei em tramitação no Congresso Nacional que prevê a criminalização da homofobia. “Nos também estamos comemorando a união estável e combatemos a lesbofobia e queremos direitos igualitários para todos e todas”. Segundo ela, em alguns casos, as lésbicas ou bissexuais são discriminadas em consultas médicas e não raro há relatos de agressões nas ruas.

Durante a manifestação, a pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Regina Faccini, informou que em levantamentos que fez nas edições da Parada Gay nos anos de 2005, 2006 e 2009 identificou que entre 15% e 18% dos entrevistados já tinham sofrido algum tipo de violência por serem gays.

A moradora de Brasília e natural de Fortaleza, Isabel Amora, de 34 anos, usou uma peruca rosa de colorido expressivo para chamar a atenção para a luta de maior visibilidade. Ela defendeu que haja mais locais, produtos e serviços voltados para as lésbicas. “Já fui vítima de violência verbal e acho que devemos ter direitos iguais”.
Fonte: Agência Brasil
Por: Marli Moreira
Edição: Rivadavia Severo

Comente e passe pra frente!

Circuito Tela Verde


Chamada para envio dos vídeos
O MMA já está recebendo vídeos de todo o Brasil sobre a temática socioambiental para compor a 4ª Mostra Nacional de Produção Audiovisual Independente – Circuito Tela Verde.
O objetivo da Mostra é divulgar e estimular atividades de educação ambiental, participação e mobilização social por meio da produção independente audiovisual, bem como atender a demanda de espaços educadores por materiais pedagógicos multimídias.
Os vídeos podem ser curtas, vinhetas, animações, produzidos com os mais diversos recursos, desde filmadoras, câmeras de celular, câmeras digital ou qualquer outro material que capture imagem e som.
Esse ano os produtores dos vídeos deverão enviar também um Plano de Orientação para utilização dos vídeos. O plano deve conter o relato sucinto de como o vídeo foi produzido, quais as questões centrais abordadas e qual o público pretendido. O Plano de Orientação é uma novidade do CTV 4 e destina-se a subsidiar a preparação da Mostra e os debates pelos espaços exibidores, bem como divulgar a metodologia de produção dos vídeos, com vista a valorizar o caráter pedagógico da produção e incentivar outros realizadores.

PASSO A PASSO PARA O ENVIO DE VÍDEOS
1- Preencha, assine e reconheça firma no Termo de Cessão de Direitos disponível nos links abaixo:
Documento para pessoa física ou Documento para pessoa jurídica
2 – Encaminhe o vídeo e o termo de cessão de direitos para o endereço abaixo até o dia 25 de junho de 2012.
Departamento de Educação Ambiental – 4º Circuito Tela Verde
Esplanada dos Ministérios, Bloco B 9º andar, sala 953.
Ministério do Meio Ambiente – MMA
CEP: 70.068-901
Brasília-DF

3 – Preencha as informações técnicas sobre o vídeo AQUI
4 – Preencha o Plano de Orientação AQUI

LEIA COM ATENÇÃO:
a) Não haverá premiação, patrocínio, tampouco pagamento para os vídeos produzidos ou selecionados;
b) Podem encaminhar material para a Mostra: escolas, redes de meio ambiente e educação ambiental, estruturas educadoras, sociedade civil organizada, comunidades, produtoras e afins;
C) Os vídeos devem ser encaminhados em formato DVD (.VOB)
D) Os critérios eliminatórios na seleção dos vídeos são:
  • Ausência de Termo de Cessão de direitos;
  • Conter propaganda comercial, eleitoral e empresarial;
  • Teor inadequado a qualquer faixa etária;
  • Possuir conteúdo ofensivo, agressivo ou que atente contra terceiros;
  • Ausência de relação com a Temática socioambiental;
  • Ausência de Ficha Técnica;
  • Ausência de Plano de Orientação.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Vídeo-convite: a Cúpula dos Povos vai denunciar as falsas soluções

Manuel Bartoldi, da Articulação de Movimentos Sociais hacia el Alba, vem fazer um convite para que a sociedade civil participe da Cúpula dos Povos, na defesa da vida e contra mercantilização da natureza. Ele convida a todos para a mobilização que vai acontecer no dia 20 de junho, em defesa desses direitos, em todo o Brasil e também na América do Sul, no dia da Ação Global.
Bartoldi acredita que a Cúpula dos Povos será um momento importante para reunir as diversidades, os povos e lutar por objetivos comuns e importantes para a sociedade civil e, dessa forma, se possa seguir construindo uma agenda de assuntos importantes a serem reivindicados.
Assista ao vídeo-convite, produzido pela Tv Cúpula:
Comente e passe pra frente!

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Exposição Nacional de Orquídeas em Brasília

 A Exposição Nacional de Orquídeas reúne espécies de todo o país no Teatro Nacional de Brasília de hoje (7) até domingo (10). O evento contará com uma mostra de colecionadores e distribuição de prêmios aos expositores. Quem quiser participar da mostra competitiva deve levar suas orquídeas ao teatro nesta sexta-feira (8), entre 9h e 15h. A premiação ocorrerá no domingo.




Fonte: Agência Brasil
Fotos: Valter Campanato/ABr
Comente e passe pra frente!

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Projeto Elas, apresentar a força feminina na música brasileira!

ELAS roubam a cena e se projetam para quem quiser ver, dançar e curtir muita música boa!
ATRAÇÕES
 :: ELLEN OLÉRIA (Show Completo)
 :: SAIABAMBA (Show de Abertura)
 :: Dj CLARICE GARCIA
 + Percussão Feminina no meio da galera!

QUANTO
 :: R$ 20 (sujeito a alteração)
 + Envie seu nome completo p/ lista.projetoelas@gmail.com e tenha sua entrada facilitada no evento até 0h: De R$ 20,00 por R$ 15,00.

ONDE
 :: Arena Futebol Clube (Setor de Clubes Sul)

Com essa caracteristica especial, o Projeto Elas, convida artistas MULHERES para apresentar a força feminina na música brasileira!

Na terceira edição do projeto (primeira do ano de 2012) Ellen Oléria apresenta um show completo, com a banda Pret.utu, antes de sua turnê representando o Brasil na Europa.

Abrindo o show e a noite, o Grupo SaiaBamba faz uma roda de samba a pitadas de pop, funky, soul e outros elementos da música de qualidade!

Clarice Garcia se responsabiliza pela discotecagem e a percussão feminina do Grupo Obará leva a força do tambor para o meio da galera!

INFOS
:: (61) 8175.4055 | 8148.7262 | 7819.4866

Censura 18 anos.

plano de ação para reduzir a mortalidade infantil e materna nas aldeias indígenas em todo o Brasil.

Depois da pressão dada pelos indígenas no Ministério da Saúde, principalmente os de Santa Catarina que ainda se encontram em Brasília, o governo anunciou nesta terça- (05) a criação de um plano de ação para reduzir a mortalidade infantil e materna nas aldeias indígenas em todo o Brasil. O lançamento foi considerado pelo governo como pontapé inicial para a Rio+20. Segundo o plano, será oferecido à população indígena, através de profissionais de saúde: consultas, procedimentos odontológicos; avaliação nutricional; exames de pré-natal; visitas domiciliares; busca ativa de casos de tuberculose e malária; controle do crescimento e desenvolvmento; testes rápidos para HIV, Sífilis e Hepatites B e C e atualização do cartão vacinal.DISTRITOS PRIORITÁRIOS – Os 16 DSEIs selecionados para o Plano de Ação Imediata são: Yanomâmi (RR e AM), Mato Grosso do Sul (MS), Xavante (MT), Interior Sul (SP, PR, SC e RS), Tocantins (TO), Alto Rio Negro (AM), Maranhão (MA), Leste Roraima (RR), Alto Rio Solimões (AM), Alto Rio Juruá (AC), Alto Rio Purus (AC, AM, RO), Vale do Javari (AM), Altamira (PA), Kaiapó do Mato Grosso (MT), Médio Rio Purus (AM), Médio Rio Solimões e Afluentes (AM). Os demais 18 DSEI também estão assegurando a entrada em área das suas equipes e farão parte do Plano de reestruturação do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena.
Comente e passe pra frente!

terça-feira, 5 de junho de 2012

Coleção ‘Flora Fanerogâmica’ chega ao sétimo volume

Projeto classifica taxonomicamente todas as espécies de plantas produtoras de flores de São Paulo. Lançamento será dia 6 de junho, no Instituto de Botânica (Gaylussacia brasiliensis/divulgação)
Um grupo de pesquisadores assumiu, há 19 anos, o desafio de mapear e classificar taxonomicamente as mais de 7 mil espécies de plantas produtoras de flores – ou fanerógamas – existentes no Estado de São Paulo. O trabalho já deu origem a seis livros. O sétimo volume da coleção Flora Fanerogâmica do Estado de São Paulo será lançado no dia 6 de junho, no Instituto de Botânica de São Paulo (IBt).

A obra apresenta monografias de 19 famílias, 67 gêneros e 470 espécies vegetais. Destacam-se representantes de grande valor ornamental, como as Araceae, com belos antúrios e filodendros, e as Begoniaceae, das quais fazem parte as begônias.

Também estão incluídas as Musaceae, família da banana, e as Marantaceae, conhecidas por seus caetés com vistosas folhagens e também por ser a família da araruta, farinha usada na alimentação. A maior família do sétimo volume é a das Piperaceae, que inclui as pequenas peperômias e a pariparoba.

“Esta edição contou com a colaboração de 49 especialistas e estudantes de botânica. O maior desafio foi fazer a taxonomia das Marantaceae, pois não havia especialistas nessa família no Brasil”, contou Maria das Graças Lapa Wanderley, pesquisadora do IBt que coordena o projeto e também participou desta monografia.

O trabalho começou em 1993 como um Projeto Temático financiado pela FAPESP e coordenado por Hermógenes de Freitas Leitão Filho (1944-1996), professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Até o momento, o projeto já envolveu mais de 200 pesquisadores do Brasil e do exterior e ajudou a formar mais de 100 estudantes das áreas de Biologia, Engenharia Agronômica e outras afins.

Também fazem parte da equipe coordenadora George Sheperd, Therezinha Melhem, Suzana Martins e Ana Maria Giulietti. Recentemente, novos membros integraram o corpo editorial: José Rubens Pirani, Inês Cordeiro, Rebeca Romanini, Maria Margarida Fiuza de Melo, Mizue Kirizawa e Luiza Kinoshita.

“Homenageamos neste sétimo volume o professor Shepherd, do Instituto de Biologia da Unicamp, que participou do projeto desde o início e foi fundamental para seu desenvolvimento”, disse Lapa Wanderley.

As primeiras publicações começaram a sair em 2001. A previsão é que, ao todo, sejam lançados 15 volumes, perfazendo um total de 180 famílias, 1.500 gêneros e 7.500 espécies de fanerógamas. “O trabalho está na metade”, disse a pesquisadora.

As monografias contêm descrições das famílias, gêneros e espécies. No caso de mais de um gênero, espécie ou categoria infraespecífica, são apresentadas chaves para esses táxons. Além disso, cada monografia conta com ilustrações botânicas e informações sobre a diversidade vegetal paulista e a distribuição geográfica das espécies.

Entre as dificuldades de concluir as monografias, Lapa Wanderley destacou os recentes avanços na área da genética e da filogenia molecular. “As descobertas têm apresentado novas propostas de classificação das espécies. São necessárias, portanto, frequentes atualizações e isso torna o processo de editoração mais longo”, disse.

Outros estados também assumiram o compromisso de mapear sua flora fanerogâmica no início dos anos 1990, mas apenas São Paulo e Distrito Federal estão em fase avançada de pesquisa, contou Lapa Wanderley.

“A decisão de mapear a flora do Brasil por estado foi tomada em assembleia durante congressos da Sociedade de Botânica do Brasil. São Paulo, tão logo a proposta foi aprovada, deu início ao estudo e submeteu o projeto à FAPESP”, lembrou.

Checklist da vegetação nativa

Em dezembro de 2011, os pesquisadores concluíram, em parceria com a equipe do Programa BIOTA-FAPESP, o checklist de todas as espécies fanerógamas do Estado de São Paulo.

“É uma listagem realizada por especialistas, com atualizações dos nomes das espécies e referência de uma amostra de herbário. O Programa BIOTA pretende fazer o checklist de toda a vegetação nativa de São Paulo. Nós já terminamos a parte das fanerógamas”, explicou Lapa Wanderley.

Um resumo do trabalho foi publicado na internet na revista Biota Neotrópica. A versão impressa será possivelmente lançada em agosto.

Na cerimônia de lançamento do sétimo volume da Flora Fanerogâmica do Estado de São Paulo, marcada para o dia 6 de junho, às 10h30, no Jardim Botânico, também será lançado o Guia de Identificação de Bromélias da Reserva de Paranapiacaba.

O Guia é resultado do projeto de iniciação científica de Sergio Sakagawa, bolsista FAPESP e orientando de Lapa Wanderley. “Trata-se de um folheto de 108 páginas, com uma introdução sobre a Reserva de Paranapiacaba e descrições das 38 espécies de bromélias lá existentes”, disse.

O Instituto de Botânica fica na Avenida Miguel Stefano, 3.687, em São Paulo.
 •Flora Fanerogâmica do Estado de São Paulo – Volume 7
 Preço: R$ 120
Editora: Imprensa Oficial do Estado
Vendas: pelo telefone (11) 5067-6028 ou pelo e-mail vendalivros@ibot.sp.gov.br
Fonte: Agência FAPESP
Por Karina Toledo

Lixo eletrônico

Loading...

Área de Preservação Ideológica!!!

Bem vindos a Área de Preservação Ideológica!
http://www.sitecurupira.com.br/