segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Performance: Corporeidades Negras

Foto: Divulgação / Cia Baobá
Criada em 1999, por Júnia Bertolino junto com o também bailarino e coreógrafo William Silva e o músico Jorge Áfrika, a Cia. Baobá de Arte Africana e Afro-brasileira surgiu para estimular e propor no cenário das artes cênicas de Belo Horizonte a representação e valorização das matrizes africanas presentes na identidade do povo brasileiro, retratados através da dança, música, poesia e teatro, a partir de pesquisas sobre a presença dessas matrizes no caldeirão da cultura nacional.

Ano passado a Cia. Baobá completou 10 anos de trajetória com os espetáculos de dança, intitulado Ancestralidade: Herança do Corpo". Concebido, dirigido e coreografado por Júnia Bertolino, sendo que o penúltimo espetáculo da Cia é Quebrando o Silêncio. O Trabalho conta com elenco 12 integrantes entre bailarinos, atores e percussionistas: Jander Ribeiro, Tico Percussão, Fred santos, Lú Silva, Tatiane do Ogum, Gabriela Rosário, Marisa Veloso, Júnia Bertolino, Yara Nascimento, Kênia Caroline, Victória Capilo e Karú Torres(produção). O Espetáculo apresenta cantos populares e de artistas como Mamour Bá e Marilene Santos. Poemas: Conceição Evaristo, Júnia Bertolino, Jú Faria, Jorge África e Evandro Nunes.

Contato para show e informações:
Telefones: (31) 99176762 ou 3467-6762
E-mails: baoba.arteafricana@gmail.com
juniabertolino@yahoo.com.br
baoba.danca@gmail.com

Fonte: Cia Baobá de dança - Bhte-MG

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Adote uma árvore

Lago Norte Ecológico - SÁBADO

"o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade." Carlos Drummond de Andrade."

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

"O estupro corretivo”

Prática cruel de estuprar lésbicas para “curar” sua homossexualidade, está se tornando uma crise na África do Sul. Porém, ativistas corajosas estão apelando ao mundo para pôr fim a estes crimes monstruosos. O governo sul africando finalmente está respondendo -- vamos apoiá-las. Assine a petição e divulgue para os seus amigos!
Millicent Gaika foi atada, estrangulada, torturada e estuprada durante 5 horas por um homem que dizia estar “curando-a” do lesbianismo. Por pouco não sobrevive

Infelizmente Millicent não é a única, este crime horrendo é recorrente na África do Sul, onde lésbicas vivem aterrorizadas com ameaças de ataques. O mais triste é que jamais alguém foi condenado por “estupro corretivo”.

De forma surpreendente, desde um abrigo secreto na Cidade do Cabo, algumas ativistas corajosas estão arriscando as suas vidas para garantir que o caso da Millicent sirva para suscitar mudanças. O apelo lançado ao Ministério da Justiça teve forte repercussão, ultrapassando 140.000 assinaturas e forçando-o a responder ao caso em televisão nacional. Porém, o Ministro ainda não respondeu às demandas por ações concretas.

Vamos expor este horror em todos os cantos do mundo -- se um grande número de pessoas aderirem, conseguiremos amplificar e escalar esta campanha, levando-a diretamente ao Presidente Zuma, autoridade máxima na garantia dos direitos constitucionais. Vamos exigir de Zuma e do Ministro da Justiça que condenem publicamente o “estupro corretivo”, criminalizando crimes de homofobia e garantindo a implementação imediata de educação pública e proteção para os sobreviventes. Assine a petição agora e compartilhe -- nós a entregaremos ao governo da África do Sul com os nossos parceiros na Cidade do Cabo:

https://secure.avaaz.org/po/stop_corrective_rape/?vl

A África do Sul, chamada de Nação Arco-Íris, é reverenciada globalmente pelos seus esforços pós-apartheid contra a discriminação. Ela foi o primeiro país a proteger constitucionalmente cidadãos da discriminação baseada na sexualidade. Porém, a Cidade do Cabo não é a única, a ONG local Luleki Sizwe registrou mais de um “estupro corretivo” por dia e o predomínio da impunidade.

O “estupro corretivo” é baseado na noção absurda e falsa de que lésbicas podem ser estupradas para “se tornarem heterossexuais”, mas este ato horrendo não é classificado como crime de discriminação na África do Sul. As vítimas geralmente são mulheres homossexuais, negras, pobres e profundamente marginalizadas. Até mesmo o estupro grupal e o assassinato da Eudy Simelane, heroína nacional e estrela da seleção feminina de futebol da África do Sul em 2008, não mudou a situação. Na semana passada, o Ministro Radebe insistiu que o motivo de crime é irrelevante em casos de “estupro corretivo”.

A África do Sul é a capital do estupro do mundo. Uma menina nascida na África do Sul tem mais chances de ser estuprada do que de aprender a ler. Surpreendentemente, um quarto das meninas sul-africanas são estupradas antes de completarem 16 anos. Este problema tem muitas raízes: machismo (62% dos meninos com mais de 11 anos acreditam que forçar alguém a fazer sexo não é um ato de violência), pobreza, ocupações massificadas, desemprego, homens marginalizados, indiferença da comunidade -- e mais do que tudo -- os poucos casos que são corajosamente denunciados às autoridades, acabam no descaso da polícia e a impunidade.

Isto é uma catástrofe humana. Mas a Luleki Sizwe e parceiros do Change.org abriram uma fresta na janela da esperança para reagir. Se o mundo todo aderir agora, nós conseguiremos justiça para a Millicent e um compromisso nacional para combater o “estupro corretivo”:

https://secure.avaaz.org/po/stop_corrective_rape/?vl

Está é uma batalha da pobreza, do machismo e da homofobia. Acabar com a cultura do estupro requere uma liderança ousada e ações direcionadas, para assim trazer mudanças para a África do Sul e todo o continente. O Presidente Zuma é um Zulu tradicional, ele mesmo foi ao tribunal acusado de estupro. Porém, ele também criticou a prisão de um casal gay no Malawi no ano passado, e após forte pressão nacional e internacional, a África do Sul finalmente aprovou uma resolução da ONU que se opõe a assassinatos extrajudiciais relacionados a orientação sexual.

Se um grande número de nós participarmos neste chamado por justiça, nós poderemos convencer Zuma a se engajar, levando adiante ações governamentais cruciais e iniciando um debate nacional que poderá influenciar a atitude pública em relação ao estupro e homofobia na África do Sul. Assine agora e depois divulgue:

https://secure.avaaz.org/po/stop_corrective_rape/?vl

Em casos como o da Millicent, é fácil perder a esperança. Mas quando cidadãos se unem em uma única voz, nós podemos ter sucesso em mudar práticas e normas injustas, porém aceitas pela sociedade. No ano passado, na Uganda, nós tivemos sucesso em conseguir uma onda massiva de pressão popular sobre o governo, obrigando-o a engavetar uma proposta de lei que iria condenar à morte gays da Uganda. Foi a pressão global em solidariedade a ativistas nacionais corajosos que pressionaram os líderes da África do Sul a lidarem com a crise da AIDS que estava tomando o país. Vamos nos unir agora e defender um mundo onde cada ser humano poderá viver livre do medo do abuso e violência.

Com esperança e determinação,
Alice, Ricken, Maria Paz, David e toda a equipe da Avaaz

Comente, Assine e passe pra frente!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Projeto “Lições de Pererê”

O projeto “Lições de Pererê” realizará apresentações teatrais em escolas da rede pública de ensino. Todas acontecerão gratuitamente em escolas urbanas e rurais.

Retomando as atividades em 2011, a primeira apresentação será no Espaço Cultural Bagagem, com o Espetáculo “Circo Mulambo”.

Entra a trupe mambembe com uma carroça puxada por uma burrinha. Eles vêem o público e resolvem parar e fazer uma apresentação circense, da empanada sai todos os números, executados por bonecos, um “fiscal”, porém, se opõe à função circense, a confusão esta arranjada.

O espetáculo estreou em 1994 e foi visto ao longo de sua jornada por aproximadamente por cem mil crianças e adultos.

Data: 28 de janeiro de 2011
Horas: 14h
Local: Espaço Cultural Bagagem
Quadra 40 loja 16 Setor Central-Gama
Classificação indicativa livre
Entrada franca
Informações: 3556 6605

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Belo Monte: não é tarde demais

Veja abaixo depoimentos de gente que vive desde gerações passadas na Volta Grande do Xingu e alertam a população brasileira sobre os graves riscos que a Amazônia corre caso o projeto Belo Monte saia do papel:


O Grande Cacique Raoni, líder da tribo dos Kayapó, dá seu depoimento em vídeo sobre os impactos de Belo Monte na região da Volta Grande do Rio Xingu.

Depoimento: Antonia Melo

Antonia Melo fala sobre o projeto da Usina Hidrelétrica de Belo Monte

Assine a petição contra a construção da usina hidrelétrica de Belo Monte: www.tinyurl.com/xinguvivo
Visite www.xinguvivo.org.br para saber mais

III Festival Mundial das Artes Negras

Margareth Menezes, Saint Louis, Senegal



Sandra de Sá, Saint Louis, Senegal

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Mulheres saem na frente Ano Internacional da Química 2011

Pré-lançamento do Ano Internacional da Química 2011 reúne virtualmente pesquisadoras de 37 países para celebrar os 100 anos do Nobel de Marie Curie e refletir sobre papel da mulher na ciência


A cerimônia de abertura do Ano Internacional da Química 2011 (AIQ-2011) será realizada nos dias 27 e 28 de janeiro, na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em Paris. Mas a “ala feminina” da comunidade internacional de químicos já iniciou suas atividades.


Pesquisadoras da área de química de pelo menos 37 países se reuniram na terça-feira (18/1) em diferentes partes do planeta – por videoconferência, Skype e Twitter – para um “café da manhã mundial” em homenagem à cientista polonesa Marie Curie (1867-1934), que há 100 anos conquistava o Prêmio Nobel da Química. A pesquisadora radicada na França foi a primeira pessoa a ser laureada duas vezes – ela já havia recebido o Prêmio Nobel da Física em 1903.

No Brasil, o evento intitulado Women Sharing a Chemical Moment in Time (“Mulheres compartilhando um momento químico no tempo”) foi organizado pela professora Vanderlan da Silva Bolzani, professora do Instituto de Química (IQ) da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Araraquara (SP), onde cientistas brasileiras se reuniram.

Segundo Vanderlan, que é membro do comitê nacional de atividades do AIQ-2011 da Sociedade Brasileira de Química (SBQ) e será uma das representantes do Brasil na cerimônia oficial de lançamento em Paris, o café da manhã mundial foi idealizado por Mary Garson, professora da Faculdade de Química e Biociências Moleculares da Universidade de Queensland, em Brisbane (Austrália). O evento foi um pré-lançamento do AIQ-2011.

“O evento foi uma homenagem a todas as mulheres na ciência a partir dos feitos de Marie Curie – a primeira mulher a conquistar espaço no universo acadêmico e única a ganhar dois Nobel. O objetivo foi criar uma oportunidade para refletir sobre o cenário atual para as mulheres cientistas e pesquisadoras da química”, disse Vanderlan à Agência FAPESP.

A pesquisadora, que é membro da coordenação do programa Biota-FAPESP e ex-presidente da SBQ, enfatizou a importância da participação do Brasil no café da manhã – ou almoço, dependendo do fuso horário – que reuniu virtualmente químicas de todo o mundo.

“Essa celebração vem em um grande momento para as cientistas brasileiras. É fantástico o número de mulheres químicas brasileiras que têm contribuído para a divulgação da química e para o avanço científico e tecnológico empreendido em suas várias áreas. O evento estimulou a reflexão sobre o papel das mulheres na ciência e no avanço econômico e social que o país demanda para enfrentar o desafio da sustentabilidade e os inúmeros problemas de um mundo complexo”, disse.

Com o tema “Química: nossa vida, nosso futuro”, o AIQ-2011 tem os objetivos de aumentar o conhecimento do público sobre a química, despertar o interesse entre os jovens e realçar as contribuições das mulheres para a ciência. Também será lembrado o centenário de fundação da Associação Internacional das Sociedades de Química, iniciativa que possibilitou a colaboração científica internacional.

“A ideia é incentivar uma mudança na percepção que o público tem da química. Trata-se de uma ciência que tem muito a contribuir com a sustentabilidade do planeta e com o bem-estar das pessoas, possibilitando o desenvolvimento de novos medicamentos, alimentos, fontes de energia, produção industrial com impactos ambientais mais baixos e assim por diante”, afirmou Vanderlan.

Um novo olhar sobre a química

O AIQ-2011 é promovido pela Unesco e pela União Internacional da Química Pura e Aplicada (Iupac, na sigla em inglês). De acordo com a presidente da Iupac, Nicole Moreau, as atividades do AIQ-2011 terão o foco em mostrar para os cidadãos como a química está presente de fato em suas vidas, melhorando sua qualidade.

No site oficial do AIQ-2011, Nicole recomenda que, para divulgar a química, os cientistas da área devem começar refletindo sobre o que a química significa pessoalmente para eles mesmos. E sugere que eles se preparem para lidar com falsas impressões difundidas no público sobre essa ciência.

“Há dois tipos principais de percepção equivocada sobre a química. Uma delas ocorre porque a química é vista como uma ciência central, em conexão com todos os outros campos científicos. Essa é uma característica maravilhosa, mas há o perigo de que com isso a química se torne difusa e perca sua identidade”, disse.

O outro tipo de percepção equivocada, segundo Nicole, é especialmente difundido entre o grande público. “Em muitos países, particularmente nas nações ocidentais, uma grande porcentagem da população associa a química com questões como degradação ambiental e câncer”, disse. Segundo ela, é preciso mostrar que a química será essencial para resolver problemas que incluem a “energia, o desenvolvimento sustentável, a saúde, os materiais e a produção de alimentos”.

A programação do AIQ-2011 já conta com mais de 100 eventos ao redor do mundo e tem mais de 400 atividades cadastradas em 74 países, sendo 14 delas no Brasil.

No dia 5 de abril, na sede da FAPESP terá início o “Ciclo de Conferências Ano Internacional da Química – 2011 – Química: nossa vida, nosso futuro”, que reunirá mensalmente, até dezembro, alguns dos mais proeminentes especialistas brasileiros para debater diversas temáticas relacionadas à química. O ciclo será promovido pela SBQ e pela revista Pesquisa FAPESP.

O ciclo incluirá temas como “Fontes alternativas de energia e mudanças climáticas”, “Novos materiais”, “Química medicinal”, “Biodiversidade”, “A química doce, amarga e perfumada”, “Doenças negligenciadas e os desafios no desenvolvimento de novos medicamentos”, “A química no contexto da educação, ciência, tecnologia e inovação”, “Tabela periódica – uma das maiores criações humanas e a obra de Marie Curie” e “A química inteligente a serviço da medicina”.

A programação incluirá nomes como Carlos Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Gláucia Mendes Souza, da Universidade de São Paulo (USP), Fernando Galembeck, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Eliezer Barreiro, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Silvia Rogatto (Unesp), Carlos Joly (Unicamp), Claudia Rezende (UFRJ), Glaucius Oliva (USP) e Carlos Henrique de Brito Cruz (diretor científico da FAPESP).

USP e Unicamp

A USP divulgou que celebrará o AIQ-2011 em todos os seus campi. O Instituto de Química organizará uma exposição na Estação Ciência com o tema “Do que as coisas são feitas”. O tema será ilustrado com um carro cortado ao meio, que servirá para mostrar todas as matérias-primas que o compõem. Outra parte da exposição utilizará um “pentágono de sentidos” para mostrar quais são as reações químicas envolvidas no processo de percepção, dentro do corpo humano.

O Instituto de Química de São Carlos planeja promover uma série de palestras mensais, ao longo do segundo semestre de 2011, com especialistas renomados da área de química. A unidade da USP também realizará, mais uma vez, a anual Semana da Química.

A Unicamp já antecipou nesta quarta-feira (19/1) a abertura de sua programação para o AIQ-2011, em cerimônia que contou com a participação da cientista israelense Ada Yonath, vencedora do Nobel de Química em 2009. A cientista, que é a quarta mulher laureada em toda a história, apresentou a palestra “O incrível ribossomo”. Ela participará, nos próximos dias, de atividades no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), em Campinas.

O Instituto de Química (IQ) da Unicamp também promoverá, entre outras atividades, a terceira edição do Programa Química em Ação, voltado a alunos da rede pública de ensino e que agora será estendido aos professores.

O programa inclui palestras e demonstrações experimentais nos laboratórios, além da visita de docentes do IQ às escolas para a apresentação de palestras. O Simpósio de Profissionais do Ensino de Química (Simpeq) e a criação do Boulevard e do Mural da Química são outras ações da Unicamp.

Mais informações: http://www.chemistry2011.org/
Fonte: Agência FAPESP

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Povos do Xingu contra a construção de Belo Monte


Cenas gravadas na Aldeia Piaraçu, na Terra Indígena Capoto/Jarina, entre os dias 28 de outubro e 4 de novembro. Nesse período, os ministros do Meio Ambiente e Minas e Energia foram convidados a ir ao Xingu para discutir os impactos da obra na região.

Comente e passe pra frente!

sábado, 15 de janeiro de 2011

Construção do desastroso Complexo Hidrelétrico de Belo Monte

O Presidente do IBAMA se demitiu devido à pressão para autorizar a licença ambiental de um projeto que especialistas consideram um completo desastre ecológico: o Complexo Hidrelétrico de Belo Monte.

A mega usina de Belo Monte iria cavar um buraco maior que o Canal do Panamá no coração da Amazônia, alagando uma área imensa de floresta e expulsando milhares de indígenas da região. As empresas que irão lucrar com a barragem estão tentando atropelar as leis ambientais para começar as obras em poucas semanas.

A mudança de Presidência do IBAMA poderá abrir caminho para a concessão da licença – ou, se nós nos manifestarmos urgentemente, poderá marcar uma virada nesta história. Vamos aproveitar a oportunidade para dar uma escolha para a Presidente Dilma no seu pouco tempo de Presidência: chegou a hora de colocar as pessoas e o planeta em primeiro lugar. Assine a petição de emergência para Dilma parar Belo Monte – ela será entregue em Brasília, quando conseguirmos 150.000 assinaturas:

https://secure.avaaz.org/po/pare_belo_monte/?vl

Abelardo Bayama Azevedo, que renunciou à Presidência do IBAMA, não é a primeira renúncia causada pela pressão para construir Belo Monte. Seu antecessor, Roberto Messias, também renunciou pelo mesmo motivo ano passado, e a própria Marina Silva também renunciou ao Ministério do Meio Ambiente por desafiar Belo Monte.

A Eletronorte, empresa que mais irá lucrar com Belo Monte, está demandando que o IBAMA libere a licença ambiental para começar as obras mesmo com o projeto apresentando graves irregularidades. Porém, em uma democracia, os interesses financeiros não podem passar por cima das proteções ambientais legais – ao menos não sem comprarem uma briga.

A hidrelétrica iria inundar 100.000 hectares da floresta, impactar centenas de quilômetros do Rio Xingu e expulsar mais de 40.000 pessoas, incluindo comunidades indígenas de várias etnias que dependem do Xingu para sua sobrevivência. O projeto de R$30 bilhões é tão economicamente arriscado que o governo precisou usar fundos de pensão e financiamento público para pagar a maior parte do investimento. Apesar de ser a terceira maior hidrelétrica do mundo, ela seria a menos produtiva, gerando apenas 10% da sua capacidade no período da seca, de julho a outubro.

Os defensores da barragem justificam o projeto dizendo que ele irá suprir as demandas de energia do Brasil. Porém, uma fonte de energia muito maior, mais ecológica e barata está disponível: a eficiência energética. Um estudo do WWF demonstra que somente a eficiência poderia economizar o equivalente a 14 Belo Montes até 2020. Todos se beneficiariam de um planejamento genuinamente verde, ao invés de poucas empresas e empreiteiras. Porém, são as empreiteiras que contratam lobistas e tem força política – a não ser claro, que um número suficiente de nós da sociedade, nos dispormos a erguer nossas vozes e nos mobilizar.

A construção de Belo Monte pode começar ainda em fevereiro.O Ministro das Minas e Energia, Edson Lobão, diz que a próxima licença será aprovada em breve, portanto temos pouco tempo para parar Belo Monte antes que as escavadeiras comecem a trabalhar. Vamos desafiar a Dilma no seu primeiro mês na presidência, com um chamado ensurdecedor para ela fazer a coisa certa: parar Belo Monte, assine agora:

https://secure.avaaz.org/po/pare_belo_monte/?vl

Acreditamos em um Brasil do futuro, que trará progresso nas negociações climáticas e que irá unir países do norte e do sul, se tornando um mediador de bom senso e esperança na política global. Agora, esta esperança será depositada na Presidente Dilma. Vamos desafiá-la a rejeitar Belo Monte e buscar um caminho melhor. Nós a convidamos a honrar esta oportunidade, criando um futuro para todos nos, desde as tribos do Xingu às crianças dos centros urbanos, o qual todos nós podemos ter orgulho.

Com esperança

Ben, Graziela, Alice, Ricken, Rewan e toda a equipe da Avaaz

Fontes:

Belo Monte derruba presidente do Ibama:
http://colunas.epoca.globo.com/politico/2011/01/12/belo-monte-derruba-presidente-do-ibama/

Belo Monte será hidrelétrica menos produtiva e mais cara, dizem técnicos:
http://g1.globo.com/economia-e-negocios/noticia/2010/04/belo-monte-sera-hidreletrica-menos-produtiva-e-mais-cara-dizem-tecnicos.html

Vídeo sobre impacto de Belo Monte:
http://www.youtube.com/watch?v=4k0X1bHjf3E

Uma discussão para nos iluminar:
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20101224/not_imp657702,0.php

Questão de tempo:
http://oglobo.globo.com/economia/miriam/posts/2011/01/13/questao-de-tempo-356318.asp

Dilma: desenvolvimento com preservação do meio ambiente é "missão sagrada":
http://www.pernambuco.com/ultimas/nota.asp?materia=20110101161250&assunto=27&onde=Politica

Em nota, 56 entidades chamam concessão de Belo Monte de 'sentença de morte do Xingu':
http://oglobo.globo.com/economia/mat/2010/08/26/em-nota-56-entidades-chamam-concessao-de-belo-monte-de-sentenca-de-morte-do-xingu-917481377.asp

Marina Silva considera 'graves' as pressões sobre o Ibama:
http://www.estadao.com.br/noticias/economia,marina-silva-considera-graves-as-pressoes-sobre-o-ibama,475782,0.htm

Segurança energética, alternativas e visão do WWF-Brasil:
http://assets.wwfbr.panda.org/downloads/posicao_barragens_wwf_brasil.pdf

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

33° CURSO INTERNACIONAL DE VERÃO DA ESCOLA DE MÚSICA DE BRASÍLIA

Homenageados do 33° Curso Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília são os compositores alemães Franz Liszt e Gustav Mahler, e os brasileiros José Vieira Brandão e Oneida Alvarenga.
Programação

13 de janeiro - quinta-feira
Duo Sax e Piano
Com a participação de Bruno Totaro (saxofone) e Maria Teresa Madeira (piano). Às 19h, no Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília.

14 de janeiro - sexta-feira
Lançamento dos CDs “Oboé do Brasil” de José Medeiros e “Universal” de Radegundis Tavares Feitosa
A apresentação contará com a presença de José Medeiros (oboé) e Radegundis Tavares Feitosa (trompete). Às 19h, no Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília.
Palco Popular Vocal
Com a participação a participação das professoras Clarice Grova e Suely Mesquita. Às 21h, no Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília.

15 de janeiro - sábado

Orquestra Sinfônica
Com a participação de Kirk Trevor, na regência. Às 21h, no Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília.

16 de janeiro - domingo

Palco Popular Instrumental
Show de jazz e improvisos, com a participação dos professores Lula Galvão (guitarra), Marco Pereira e Rogério Caetano (violão), Marcos Nimrichter (acordeon), André Rodrigues e Jorge Helder (contrabaixo), Cledson Meira e Rafael Barata (bateria), Marcos Vinicius e Vittor Santos (piano) e Sérgio Galvão (saxofone). Às 21h, no Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília.

17 de janeiro - segunda-feira
Choro e Afins
Com Fernando Cesar (violão). Às 13h, no Teatro de Câmara Maestro Carlos Galvão.

Às 19h e 21h - Homenagem a Radegundis Feitosa

Shows e concertos em homenagem ao trombonista brasileiro Radegundis Nunes Feitosa, considoerado um dos três melhores músicos do mundo, falecido em acidente trágico, no sertão da Paraíba, em julho de 2010. As homenagens acontecerão em três momentos, com apresentações às 12h30, 19h e 21h, no Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília e no Teatro de Câmara Maestro Carlos Galvão.

Participam da homenagem seu filho, Radegundis Feitosa (trompista), que veio a Brasília exclusivamente para esta série de apresentações, assim como o maestro Duda, um dos maiores divulgadores da obra do compositor. O irmão do homenageado, José Medeiros, professor do Oboé convidado do 33° CIVEBRA também confirmou participação no evento.

18 de janeiro - terça-feira

Virtuosidades da música
Concerto dos compositores homenageados do 33° CIVEBRA. Com Malú Mestrinho e André Vidal (canto), Duly Mittelstedt, Deyvison Miranda (piano) e Claude Brendel (regência). Às 19h, noTeatro do CEP/Escola de Música de Brasília.
Banda Sinfônica
Com Claude Brendel na regência.Às 21h, noTeatro CEP/Escola de Música de Brasília.

19 de janeiro - quarta-feira

Caribean Free
Com a participação de Marcos Fonseca (piano), Paulo Dantas (baixo elétrico), Edson Quesada (percussão), Gledson Meira (bateria) e Manoel Carvalho (regente). Às 19h, no Teatro de Câmara Maestro Carlos Galvão
Big Band do 33° CIVEBRA
Com instrumentos de sopro, piano e bateria e regência de Manoel Carvalho. Às 21h,no Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília.

20 de janeiro - quinta-feira

Sextetos – Sopros com piano
Com Sérgio Barrenechea (flauta), José Medeiros (oboé), Pedro Robatto (clarineta), Heleno Feitosa (fagote), Bostjan Lipovsek (trompa) e Lucia Barrenechea (piano). Às 19h, no Teatro de Câmara Maestro Carlos Galvão.
Coro de Câmara
Com Éder Camúzis na regência. Às 19h, no Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília.
Orquestra Sinfônica
Com a participação dos alunos de regência. Às 21h, no Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília.

22 de janeiro - sábado

Concerto de encerramento do 33° Curso Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília
Com a participação de alunos e professores do 33° CIVEBRA. Às 20h, no Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília.

APRESENTAÇÕES SÃO GRATUITAS

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS

Os Teatro do CEP/Escola de Música de Brasília e Teatro de Câmara Maestro Carlos Galvão estão localizados na SGAS 602.

FONTE: EMB

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Prêmio Nacional de Viola

A viola caipira na sua melhor expressão. Uma premiação nacional envolvendo os maiores expoentes de todos os tempos entre homenageados e indicados em 23 categorias, contemplando toda a cadeia produtiva de um dos instrumentos mais importantes da cultura brasileira.

O “Prêmio Nacional de Excelência da Viola Caipira”, que teve sua primeira edição em 2005 e que agora passa a se chamar “Prêmio Rozini de Excelência da Viola Caipira” devido à parceria com a empresa paulista Rozini Instrumentos, acontecerá na capital mineira no dia 18 de janeiro de 2011, a partir das 20 horas, no Centro de Convenções Minascentro.

Serão cerca de 130 contemplados entre artistas e profissionais envolvidos com o universo da viola caipira no Brasil, em uma grande noite de gala. Após a entrega teremos apresentações dos violeiros anfitriões Chico Lobo e Pereira da Viola.

O prêmio tem a curadoria de Pedro Lemos F. M. Barbosa (Presidente do IBVC e Diretor/Editor da Revista Viola Caipira); Margaret A. Lemos, (Diretora de Comunicação do IBVC e Diretora Comercial da Revista Viola Caipira); e João Araújo (músico, produtor, cronista, consultor e criador do trabalho de preservação músico-cultural "Viola Urbana").

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

As abelhas estão morrendo em todo o mundo, colocando em perigo a nossa cadeia alimentar.

 
Os cientistas culpam os agrotóxicos e quatro governos europeus já os proibiram. Se conseguirmos que os EUA e a União Europeia se unam à proibição, outros governos ao redor do mundo poderão seguir o exemplo e salvar da extinção milhares de abelhas.
Silenciosamente, bilhões de abelhas estão morrendo, colocando toda a nossa cadeia alimentar em perigo. Abelhas não fazem apenas mel, elas são uma força de trabalho gigante e humilde, polinizando 90% das plantas que produzimos.
Vários estudos científicos mencionam um tipo de agrotóxico que contribui para o extermínio das abelhas. Em quatro países Europeus que baniram estes produtos, a população de abelhas já está se recuperando. Mas empresas químicas poderosas estão fazendo um lobby pesado para continuar vendendo estes venenos. A única maneira de salvar as abelhas é pressionar os EUA e a União Europeia para eles aderirem à proibição destes produto letais - esta ação é fundamental e terá um efeito dominó no resto do mundo.

Não temos tempo a perder - o debate sobre o que fazer está esquentando. Não se trata apenas de salvar as abelhas, mas de uma questão de sobrevivência. Vamos gerar um zumbido global gigante de apelo à UE e aos EUA para proibir estes produtos letais e salvar as nossas abelhas e os nossos alimentos. Assine a petição de emergência agora, envie-a para todo mundo, nós a entregaremos aos governantes responsáveis:

https://secure.avaaz.org/po/save_the_bees/?vl

sobrevivênciaimediatas para salvar as abelhas, poderíamos acabar sem frutos, legumes, nozes, óleos e algodão.

Nos últimos anos, temos visto um declínio acentuado e preocupante a nível global das populações de abelhas - algumas espécies de abelhas estão extintas e outras chegaram a 4% da população no passado. Cientistas vêm lutando para obter respostas. Alguns estudos afirmam que o declínio pode ser devido a uma combinação de fatores, incluindo doenças, perda de habitat e utilização de produtos químicos tóxicos. Mas um importante estudo independente recente produziu evidências fortes culpando os agrotóxicos neonicotinóides. A França, Itália, Eslovênia, e até a Alemanha, sede do maior produtor do agrotóxico, a Bayer, baniram alguns destes produtos que matam abelhas. Porém, enquanto isto, a Bayer continua a exportar o seu veneno para o mundo inteiro.

Este debate está esquentando a medida que novos estudos confirmam a dimensão do problema. Se conseguirmos que os governantes europeus e dos EUA assumam medidas, outros países seguirão o exemplo. Não vai ser fácil. Um documento vazado mostra que a Agência de Proteção Ambiental dos EUA já sabia sobre os perigos do agrotóxico, mas os ignorou. O documento diz que o produto da Bayer é "altamente tóxico" e representa um "grande risco para os insetos não-alvo (abelhas)".

Temos de fazer ouvir as nossas vozes para combater a influência da Bayer sobre governantes e cientistas, tanto nos EUA quanto na UE, onde eles financiam pesquisas e participam de conselhos de políticas agrícolas. Os reais peritos - apicultores e agricultores - querem que estes agrotóxicos letais sejam proibidos, a não ser que hajam evidências sólidas comprovando que eles são seguros. Vamos apoiá-los agora. Assine a petição abaixo e, em seguida, encaminhe este alerta:

https://secure.avaaz.org/po/save_the_bees/?vl

Não podemos mais deixar a nossa cadeia alimentar delicada nas mãos de pesquisas patrocinadas por empresas químicas e os legisladores que eles pagam. Proibir este agrotóxico é um caminho necessário para um mundo mais seguro tanto para nós quanto para as outras espécies com as quais nos preocupamos e que dependem de nós.

Assine a petição e encaminhe este apelo urgente:

Com esperança,
Alex, Alice, Iain, David e todos da Avaaz

Leia mais:

Itália proibe agrotóxicos neonicotinóides associados à morte de abelhas:
http://www.ecodebate.com.br/2008/09/22/italia-proibe-agrotoxicos-neonicotinoides-associados-a-morte-de-abelhas/

O desaparecimento das abelhas melíferas:
http://www.naturoverda.com.br/site/?p=180

Alemanha proíbe oito pesticidas neonicotinóides em razão da morte maciça de abelhas:
http://www.ecodebate.com.br/2008/08/30/alemanha-proibe-oito-pesticidas-neonicotinoides-em-razao-da-morte-macica-de-abelhas/

Campos silenciosos:
http://www2.uol.com.br/sciam/reportagens/campos_silenciosos_imprimir.html

Riscos na gestação

Uma dieta com elevado consumo de sal durante a gestação poderá gerar indivíduos que, na idade adulta, terão hipertensão arterial. Por outro lado, se o consumo de sal durante a gravidez for baixo, o problema pode ser o desenvolvimento de resistência à insulina.

Esses são alguns dos resultados obtidos em estudos feitos com ratos pela equipe do professor Joel Claudio Heimann, livre-docente da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), que investiga os efeitos das alterações no ambiente perinatal, que engloba o período gestacional até o final da lactação.

O trabalho de pesquisa foi feito no âmbito do Projeto Temático "O sistema renina-angiotensina em prole de mães submetidas a alterações no ambiente perinatal", coordenado por Heimann e apoiado pela FAPESP.

“É importante frisar que esses resultados não significam necessariamente o aumento da mortalidade dos ratos na idade adulta”, disse Heimann à Agência FAPESP, salientando também que a pesquisa não pode ser extrapolada para humanos sem estudos adicionais de validação dos resultados no homem.

Mesmo assim, o trabalho vem produzindo dados importantes sobre o papel do sal durante o período gestacional. Por exemplo, a dieta hipossódica, com restrição de sal, levou à formação de animais que, na idade adulta, apresentaram excesso de colesterol (hipercolesterolemia).

Esses mesmos animais também apresentaram maior resistência à insulina. “Isso significa que eles precisam de mais insulina para manter os níveis normais de açúcar no sangue”, explicou Heimann.

Outro efeito curioso observado é que as fêmeas – mas não os machos – das proles de mães que consumiram dieta com pouco sal durante a gestação e amamentação desenvolveram obesidade na idade adulta.

Os mecanismos responsáveis por qualquer caso de obesidade podem ser a maior ingestão de alimentos com conteúdo calórico elevado, o menor gasto energético decorrente de sedentarismo ou peculiaridades do metabolismo (como o hipotiroidismo) ou o conjunto dos mecanismos.

“No nosso estudo, o primeiro fator foi excluído. As fêmeas obesas não ingeriram mais ração do que o grupo controle – prole de mães alimentadas com ração com conteúdo normal de sal durante o período perinatal. Em conclusão, restou a hipótese do menor gasto energético”, disse.

Outra linha de estudo abordada no Projeto Temático analisa alterações na prole de mães com hiper ou hipotiroidismo durante a gestação. Coordenado pela professora Maria Luiza Morais Barreto de Chaves, do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, o estudo descobriu que filhotes de mães que sofrem de hipertiroidismo nascem com baixo peso.

Heimann lembra que o nascimento abaixo do peso pode ser indicativo de complicações na idade adulta. Esse problema foi apontado pela primeira vez pelo epidemiologista inglês David J.P. Barker, criador da hipótese do fenótipo econômico segundo a qual mães que sofrem restrições na alimentação durante a gestação produzem filhos menores de forma a adaptá-los às condições de escassez do ambiente.

Mecanismos epigenéticos

Outra linha de pesquisa que está sendo abordada no Temático analisa os efeitos da poluição atmosférica na gestação. Esse estudo é coordenado pelo professor Paulo Saldiva, do Departamento de Patologia da FMUSP, especialista na relação entre poluição atmosférica e saúde.

Baixo peso ao nascimento, diminuição da fertilidade e hipertensão arterial, como efeitos da poluição, também foram verificados em humanos. Outro efeito observado tanto em animais como em seres humanos cujas mães foram submetidas à poluição durante a gestação é a geração de mais fêmeas do que a machos. “Essa é uma linha de investigação importante, especialmente para cidades com índices de poluição, como São Paulo”, disse Heimann.

Para o professor da USP, a maior contribuição desse Projeto Temático está em chamar a atenção para fatores capazes de alterar a programação do feto sem modificar a estrutura do DNA. Fatores importantes, como a resistência à insulina surgem e são passados de uma geração para outra e dependem apenas das condições encontradas durante o período gestacional.

Chamados de mecanismos epigenéticos, por não serem localizados no genótipo, esses fatores têm demonstrado possuir um grande grau de influência sobre as características dos indivíduos. “Os estudos vêm mostrar que não é somente a genética, mas há estímulos que reprogramam o feto e causam alterações profundas no organismo”, disse Heimann.

Com isso, o pesquisador já nota mudanças nos procedimentos médicos. “Os obstetras, por exemplo, que antes se preocupavam muito em manter o peso da gestante, hoje são mais flexíveis nesse ponto, uma vez que gestações com restrições calóricas extremas possuem efeitos negativos sobre a prole”, afirmou.

Por Fábio Reynol
Fonte: gência FAPESP

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Começou o Festival Gastronômico de Blumenau

Desde (04 de janeiro) e vai até dia 08 de fevereiro, vale a pena participar!

O FESTIVAL GASTRONÔMICO É UMA DAS ATRAÇÕES DA SOMMERFEST, QUE REÚNE OS MELHORES ESTABELECIMENTO NO RAMO DE GASTRONOMIA DE BLUMENAU. CADA CASA APRESENTA UM PRATO EXCLUSIVO PARA O EVENTO DE ACORDO COM A SUA ESPECIALIDADE, ALÉM DE SEU CARDÁPIOS VARIADOS E SABOROSOS.

NO DECORRER DO EVENTO ACONTECEM AS OFICINAS DO FESTIVAL GASTRONÔMICO DE BLUMENAU, NA FURB, ONDE VOCÊ TEM A OPORTUNIDADE DE PREPARAR UM DOS PRATOS DO EVENTO, EM CONJUNTO COM O CHEF DA UNIVERSIDADE.

Confira uma das receitas participantes!
Risotto dei Asparagi
Maiores informações no www.gastronomiablumenau.com.br

Drogas sem punição: o fim do mito?

No bairro Fim do Mundo, conhecida em Lisboa pela abundância de drogas ilegais, Maria se senta em uma barraca feita de pano. Rodeado por seringas descartáveis e sangue, tomar um cilindro de papel alumínio e começa a fumar heroína.
Em quase todos os países do mundo, fazendo com que Maria é ilegal. Mas em Portugal pode fazer isso tranquilamente, sabendo que ninguém irá levá-la para a prisão.

E não só a heroína pode fumar livremente, mas até mesmo organizações sociais e de saúde que trabalham no bairro fornecer as ferramentas para a droga.

Tudo isso, exatamente oito anos atrás, Portugal aprovou uma lei legalizando o uso e posse de drogas ilegais.

O consumo diminuiu
Desde 2001, uso de drogas não é crime em Portugal.

Com a implementação da lei controversa que muitos previram catástrofes, dizendo que o país iria se transformar em um centro turístico para viciados em drogas na Europa.

Mas os resultados mostram que o consumo de drogas no país não só não aumentou, mas diminuiu. De fato, as estatísticas do governo indicam que o consumo caiu 10%.

O país teve, e continua a ter sérios problemas com heroína, e é um dos países da Europa com maior consumo dessa droga.

Agora, o governo envia para aqueles que encontram-se com estas ou outras drogas ilegais a um comissões de dissuasão que decidir se eles cobram uma multa ou, se você é viciado, sugerimos iniciar o tratamento. Mas de qualquer forma, o tráfico de droga continua a ser um crime grave.

Segundo o correspondente da BBC Mark Easton, que visitou Portugal para investigar os resultados da lei, mais e mais consumidores de drogas iniciam o tratamento para parar.

Além disso, o consumo de todas as drogas ilícitas entre adolescentes tem declinado desde 2001. Embora os métodos de medição são relativos, tão marcante - Easton diz - é que não há provas de que o consumo tem crescido a descriminalização.

"Nenhum dos Horrores"

Easton relata que os presságios de que Portugal iria tornar-se uma panacéia de "sol, praias e drogas que você quiser", e previu um político perante a lei entrou em vigor ainda não ocorreu.

Brendan Hughes, o Observatório Europeu de Drogas, com sede em Lisboa, disse à BBC: "Nós não sabemos se é a lei. Nós não sabemos o que leva as pessoas a parar de usar drogas. O que sabemos é o que aconteceu: houve uma explosão no consumo. O senso comum pode dizer uma coisa, mas todas as estatísticas dizem o contrário. "

Um relatório do "think tank" EUA Cato diz que "não cumpriu qualquer dos horrores que os opositores da descriminalização em todo o mundo tendem a confiar."

Para Hughes, a única certeza é que o consumo é não "explodiu".

"Em muitos casos, exatamente o oposto aconteceu, como o consumo caiu em importantes categorias e que em regime de descriminalização doenças relacionadas com o consumo de drogas são muito mais contidas."

Na verdade, Paula Vale de Andrade, membro de uma das equipes sociais irão viciados, disse à BBC que, desde a nova lei, suas "equipas de rua" foram capazes de reduzir drasticamente o número de infecções por HIV e mortes causada por uso de drogas.

"Quando os remédios era um crime, muitos tinham medo de abordar as nossas equipas. Mas desde que a descriminalização, eles sabem que a polícia não vai chegar e vir até nós. Isso foi um avanço."

Não é tão convencido

Mas nem todo mundo aplaude a descriminalização e muitos bons resultados relativizar. Mark Easton, da BBC, patrulhavam as ruas de Lisboa, juntamente com a polícia, que questionaram as estatísticas.

Segundo eles, os criminosos de ontem são hoje considerados como "vítimas".

Outros críticos do pedido de direito de que um terço de todos os casos de drogas não são apresentadas à comissão.

Muitos temiam que o Português praias estão cheias de viciados em drogas.

Até mesmo um viciado em heroína, que a BBC encontrou um centro de reabilitação estava cético antes da descriminalização: "Se é um crime, eles irão consumir até morrer."

Nos oito anos seguintes a lei, a idéia de não punir os usuários de drogas se espalhou para a Europa. Atualmente, dez países da União Europeia a posse de pequenas quantidades de substâncias ilegais não é crime.

O governo de Portugal se orgulha dos resultados. Além dos argumentos a favor e contra, que termina em jornalista da BBC, Mark Easton, a experiência Português "parece mostrar que pode descriminalizar o uso de drogas sem o colapso do mundo inteiro."
 
 Clic e Veja o Video: ..Experiencia "exitosa" con drogas
 Clic e veja: Opiniões Medicamentos sem punição?

 Fonte: Redação BBC World
http://www.bbc.co.uk/mundo/internacional/2009/07/090702_drogas_portugal.shtml 
*Traduzido do espanhol: Google Tradutor

Comente este assunto!

HIV e transtornos mentais

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo criou um fórum destinado aos profissionais de saúde para discussão de casos de pacientes portadores de HIV com transtornos mentais.


O projeto pretende proporcionar troca de experiências e ampliação de conhecimentos de casos que envolvam portadores de Aids com algum tipo de problema mental. O fórum é coordenado pelo Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids e conta com uma equipe de apoio multidisciplinar.

Para participar do serviço, é necessário que o profissional de saúde envie uma descrição básica do caso, contendo as iniciais do paciente, idade, sexo e orientação sexual. O conteúdo encaminhado terá acesso restrito para a manutenção do sigilo e da ética profissional.

Segundo a Secretaria, também devem ser encaminhados queixa principal, breve histórico do paciente, condutas e estratégias terapêuticas adotadas (atendimento individual, grupo e família), principais questões em relação ao caso, dúvidas e estratégias a serem adotadas.

O e-mail para a discussão de casos é o saudemental@crt.saude.sp.gov.br
Mais informações: http://www.saude.sp.gov.br/
Fonte: Fapesp

Beirão com o show BAIÃO DE DOIS

Considerado um astro da musica nordestina, criador de trilha para cinema, teatro, circo, TV, sendo reconhecido no âmbito nacional e internacional, relações publicas da OMB em Brasília, vem com seu mais novo show BAIÃO DE DOIS, que traz como convidada a cantora e pandeirista Sharia Ribeiro.

Agenda de shows:
Brasília:
14/01/2011 Café da Rua 8
15/01/2011 Segundo Clichê
26/01/2011 Bienal da UNEDIA

Rio de Janeiro - Região dos lagos
02,03 e 04/02/2011

Contato:
Cantador Produções Artísticas
Fone: 61 8205-4784 e 8538-5633

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

CURSO INTENSIVO DE VIOLA 2011

III CURSO INTENSIVO DE VIOLA CAIPIRA

Ha três anos, eu, Ricardo Vignini mais os violeiros Índio Cachoeira e o Zé Helder realizamos o Curso Intensivo de Viola Caipira, sempre no último fim de semana do mês de janeiro

Níveis iniciante, intermediário e avançado.

Dias 22 e 23 de janeiro de 2011
Professores: Ricardo Vignini, Zé Helder e Índio Cachoeira.
Carga horária: 16h
Av. Jabaquara, 1309
Fones 11 3842 3727 e 11 9437 1113 vignini@uol.com.br
Valor: R$280 em 2 vezes
Maiores informações: http://www.ricardovignini.com.br/cursos_14.html 

Lixo eletrônico

Loading...

Área de Preservação Ideológica!!!

Bem vindos a Área de Preservação Ideológica!
http://www.sitecurupira.com.br/