sábado, 31 de março de 2012

Museu Exploratório da Unicamp lança 6º Grande Desafio

Concurso abordará temática de assoreamento e poluição de águas. Estudantes a partir do 6º ano do ensino fundamental poderão se inscrever até o dia 10 de junho (MC-Unicamp)

O Museu Exploratório de Ciências da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) lançará o 6º Grande Desafio, com a temática de assoreamento e poluição das águas, no dia 16 de junho.
Estudantes do Ensino Fundamental (a partir do 6º ano), Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA) de todo o país poderão apresentar suas soluções até o dia 10 de junho. As equipes deverão ter de dois a seis integrantes.
Em meio às atividades da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a RIO+20, a equipe do Museu desafia os estudantes a projetar, construir e operar um equipamento capaz de auxiliar no desassoreamento e na despoluição de um lago.
O Grande Desafio tem o objetivo de estimular que professores e estudantes se aproximem de assuntos da sala de aula de uma maneira pouco convencional, ampla e interdisciplinar. O Desafio de 2012 traz duas novidades: o “Mapa Colaborativo da Qualidade das Águas” e o “Vídeo Desafio”.
Mais informações: www.mc.unicamp.br

segunda-feira, 26 de março de 2012

Zé Geraldo na Quinta Cultural do T-Bone dia 29 deste mês

O cantor e compositor Zé Geraldo abre a temporada 2012 das Quintas Culturais T-Bone. O músico mineiro vai mostrar um apanhado de sucessos como “Cidadão” e novas composições.
A Quinta Cultural também terá a participação dos deputados distritais Arlete Sampaio do PT e Israel Batista do PDT e começará às 18 horas com teatro de bonecos, exposição de artes plásticas e banca de livros. Apresentação do mímico Miqueias Paz e entrada livre.
Debate do Movimento Viva ArteA programação da Quinta Cultural conta com a participação dos membros do Movimento Viva Arte que participarão o debate sobre políticas culturais com o secretário de Cultura do DF. Nesta edição, está confirmada a presença da jornalista e poeta Amneres Santiago, do cineasta Vladimir Carvalho, do escritor e poeta Nicolas Behr, do advogado e escritor Fabrízio Morelo e do jornalista Paulo José Cunha.

O Viva Arte é um observatório da cultura permanente que tem como objetivo mobilizar todas as forças das artes de Brasília, para que juntas possam influenciar nas políticas de apoio e incentivo à cultura no DF. O movimento conta com aqueles que ajudaram e ainda contribuem com o desenvolvimento da cultura na capital federal e não tem caráter político partidário, o seu compromisso é em defesa da arte produzida na cidade. Saiba mais sobre o Movimento no blog: http://www.movimentovivaarte.com.br

Programação Infantil O público infantil não ficará de fora. O bonequeiro Carlos Machado promete animar a noite com o boneco Benedito e o Boi Pintadinho. Haverá ainda o espetáculo "A natureza da gente", do grupo Mamulengo Cagaita. A história gira em torno de dois jovens preocupados com o meio ambiente e que decidem movimentar os amigos para conscientizar das necessidades de preservação, conservação e limpeza das ruas da comunidade e se deparam com a atitude de agressão (bullyng) do Jovem Digão Lelé. Enquanto o mandatário da região Capitão João Redondo com sua forma de resolver as questões de toda ordem esbarra na natureza do Digão Lelé colocando seu bicho de estimação a Cobra Madalena para solucionar as desavenças, Benedito e Rosalinda.
A Quinta Cultural conta com o patrocínio da Petrobras e apoio da Secretaria de Cultura do DF.
Serviço:Data: 29/03
Horário: 18 horas
Local: Açougue Cultural T-Bone: SCLN 312 Bl B Lj 27 Brasília-DF
Tel: (61) 3274-1665
ENTRADA FRANCA

Mário Lago um homem do século XX

A vida e a obra de Mário Lago será contada em exposição realizada pelo Arquivo Histórico Nacional: Lago Eu Sou – Mário Lago um homem do século XX. Na abertura, marcada para o dia 26 de março, das 18 às 22h, Mário Lago Filho, curador, comandará uma roda de samba com a nata de sambistas da cidade.
A exposição será aberta ao público no dia 27 e poderá ser visitada até 24 de maio, de segunda a sexta, das 10h às 18h.
Em Lago Eu Sou, os visitantes encontrarão imagens de Mário Lago superpostas por frases e versos autobiográficos, cartazes, cenas de novelas e peças teatrais, manuscritos, capas de livros e discos, além de imagens da boemia carioca, amigos, família e troféus.
De acordo com a coordenadora geral da exposição, Mariana Marinho, a concepção da mostra foi executada de modo que o público sinta que está sendo guiado pelo próprio artista.
“A sala principal foi concebida como se o próprio artista estivesse recebendo o público em sua casa”, explica Mariana Marinho.
No subsolo, a montagem trará a proposta de um passeio cronológico sobre o desenvolvimento do artista e sua interação com os principais fatos do seu tempo, década a década. Será um registro de sua rica trajetória na história artística e política de nosso país. E quem assina a coordenação de pesquisa é Pedro Paulo Malta (Sassaricando). A direção de arte é de Beto Herriote e a produção de Adriana Schneider.
A exposição faz parte das comemorações em homenagem aos 100 anos de nascimento do ator, compositor e cidadão carioca Mário Lago. O objetivo é mostrar para as diversas gerações como Mário Lago influenciou e se deixou influenciar pela sociedade em que viveu – a qual chamava de “moldura do meu quadro”.
Todo o projeto de homenagem ao centenário tem, principalmente, o objetivo de afirmar a memória de Mário Lago como um patrimônio atemporal.
Lago Eu Sou conta com o patrocínio da Prefeitura e do Governo do Estado do Rio de Janeiro.
Frases de Lago:
“Eu era para me chamar Mario de Pádua Jovita Correia do Lago, mas nasci com mais de meio metro e menos de três quilos. Na hora do registro, meu pai pensou: é muito nome pra esse langanho levar pro resto da vida. Esta arriscado a nem vingar… Bota só Mário Lago. E olhe la!” (AFETIVO)
“Quem quiser cante a sua Lapa
Que eu, cá, vou chorar a minha
Lapa, cachaça zurrapa
Muy decadente rainha.” (BOEMIA)
“Eu era Partido, não era do Partido. Nunca assinei ficha de filiação. Sou marxista comunista autônomo.” (POLÍTICA)

Serviço:

Eu Sou – Mário Lago um homem do século XX
Abertura
26 de março de 2012 – das 18h às 21h
Com roda de samba – Mario Lago Filho e convidados
Exposição
De 27 de março de 2012 a 24 de maio de 2012
segunda a sexta das 10h às 18h
Local:Arquivo Histórico Nacional
Praça da República, 173 – Rio de Janeiro/RJ
Informações: (21) 2179-1228 | 2179-1273

segunda-feira, 19 de março de 2012

3º Encontro Feminino de Capoeira “A Mulher Entrou na Roda”

É Cor de Rosa Choque
No mês das mulheres o Projeto É Cor de Rosa Choque, sediado no ponto de cultura: Centro de Capoeira São Salomão, realizará de 23 a 25 de março o 3º Encontro Feminino de Capoeira “A Mulher Entrou na Roda”.
Durante o evento, idealizado e organizado pela Professora Bel, o universo da Capoeira pela ótica feminina será desvelado através de debates, palestras, apresentações de vídeos e exposições de artes, além de aulas e rodas de Capoeira.

Neste ano o encontro vai discutir a temática da Mulher Professora de Capoeira, refletindo sobre suas experiências na superação das dificuldades e na afirmação de seus fazeres no universo dessa arte. Para isso, vai contar com a participação de convidadas especiais: Mestra Isa – Ouberém Obá (Federação Pernambucana de Capoeira), Contra Mestra Di (Capoeira Angola Mãe -PE), Nalvinha (Fundação Mestre Bimba – BA), Professora Nani de João Pequeno (Academia do Mestre João Pequeno de Pastinha – BA) e Professora Jujuba (Capoeira Brasil – RJ).

O projeto iniciado em janeiro de 2009 já produziu um livro de depoimentos das capoeiristas mais antigas de, um DVD I e II Encontro Feminino de Capoeira: A Mulher entrou na roda. A iniciativa é apoiada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, por meio do ponto de Cultural Centro de Capoeira São Salomão.

Serviço: Data: de 23 a 25 de março
Local: Centro de Capoeira São Salomão
Endereço: Galeria Joana D’arc, na Av. Herculano Bandeira, Nº 513, 1º andar – Pina

Informações:(81) 3031.1109 / 9101.6037 / 9165.0055
capoeirasaosalomao@gmail.com
Ou com Mestre Mago ou Professora Bel
Fonte: Ascom - Iphan/PE

sábado, 17 de março de 2012

Inscrições abertas para 14ª edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental

FICA pretende discutir o cinema brasileiro ao lado da questão ambiental
As inscrições para a seleção do FICA – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental – estão abertas até 9 de abril. O festival, sediado na Cidade de Goiás, irá receber para a mostra competitiva filmes de qualquer duração nos gêneros ficção, animação ou documental com temática ambiental produzidos em qualquer parte do mundo. O FICA tambmém de promoverá ações de difusão, produção, formação e capacitação na área do audiovisual. Serão consideradas curtas-metragens as obras de até 29 minutos, médias-metragens de 30 até 59 minutos e longas-metragens com mais de 60 minutos. Um corpo de jurados será indicado pelos organizadores para selecionar as obras inscritas.

O maior destaque entre os trabalhos apresentados receberá o prêmio Cora Coralina, constituído de um troféu e R$ 50 mil. O melhor longa-metragem receberá o troféu Carmo Bernardes e R$ 35 mil; o melhor média-metragem ganhará o troféu Jesco Von Putkamer e mais R$ 25 mil; enquanto o curta-metragem mais bem avaliado será premiado com o troféu Acari Passos e mais R$ 25 mil. A melhor produção do estado de Goiás será agraciada com o troféu José Petrillo e R$ 40 mil; e a melhor produção da Cidade de Goiás receberá o troféu João Bênnio e R$ 40 mil. A melhor série ambiental para TV vai ganhar o prêmio Bernardo Élis e mais R$ 25 mil.

O Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental surgiu em 1999 na Cidade de Goiás. O evento busca valorizar o cinema e discutir a indústria, mas também procura avaliar a questão ambiental no Brasil e incentivar o turismo. Longas como "Estamira", de Marcos Prado, e "Tainá – Uma Aventura na Amazônia", de Tânia Lamarca e Sérgio Bloch, já foram premiados em edições passadas.

Além da produção cinematográfica, o FICA envolve teatro, música e literatura. O festival acontece de 26 de junho a 1° de julho de 2012. O regulamento e a ficha para a inscrição podem ser encontrados na página do FICA.

Ipeafro lança exposição sobre vida e obra de Abdias Nascimento

A mostra apresentará a vida e obra de Abdias Nascimento, pioneiro na luta contra o racismo e responsável pelos primeiros projetos de criação dos mecanismos compensatórios para construção da verdadeira democracia racial no Brasil.
A Exposição faz parte de uma série de atividades que teve início na segunda-feira (12), organizada pelo Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros (Ipeafro) do Rio de Janeiro. Durante a semana, foram realizados o Fórum Educação Afirmativa Sankofa e a Oficina Matriz Africana e Ação Educativa. O lançamento da mostra marcará o encerramento das atividades.
O acervo retrata as ações do ativista por meio de sua própria criação artística e de registros de organizações criadas por ele, como o Teatro Experimental do Negro e o Museu de Arte Negra, no contexto da história dos povos africanos no mundo. Para Eloi Ferreira, a população negra brasileira deve continuar a luta de Abdias Nascimento para que o Brasil acabe definitivamente com o racismo, o preconceito e todo tipo de discriminação.
“É um legado que não pode ser deixado de lado, pois só terá sentido em sua continuidade”, pontua o presidente da FCP. “Sua luta foi para que todos os descendentes de africanos que vivem no Brasil tenham igualdade de oportunidades, para que possam acessar os bens econômicos e sociais”, completa lembrando que a exposição é uma oportunidade de compreensão da histórica luta do ativista.
A mostra acontecerá no Centro de Convenções da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) localizado na Avenida Alberto Lamego, n° 2000, Parque Califórnia em Campos dos Goytacazes. Ela ficará aberta ao público, com visitas guiadas para escolas e grupos comunitários, até 13 de abril. Para agendar as visitações basta telefonar para (22) 2733-4716
Fonte: Fundação Cultural Palmares

quinta-feira, 15 de março de 2012

Exposição São Paulo Mon Amour mostra visão de artistas brasileiros e franceses sobre a megalópole

A cidade de São Paulo vista por artistas franceses e brasileiros. Essa é a proposta da exposição São Paulo Mon Amour, fica em cartaz até o dia 1º de abril, no Museu Brasileiro de Escultura (Mube), em São Paulo.
“É uma exposição multimídia, de artistas franceses e brasileiros, sobre a cidade de São Paulo, de como eles sentem a cidade e de como vivem em uma megalópole”, explica Renata Junqueira, diretora de Relações Internacionais do Mube.

Segundo ela, a grande maioria dos artistas da exposição é ligada à arte urbana. São nove artistas que apresentam obras que já estiveram expostas em Paris e novos trabalhos produzidos durante residência artística em Montmartre, na França. Nesses trabalhos, os artistas refletem, entre outros temas, sobre a multidão e a solidão.

“[As obras abordam] A sensibilidade e a vivência da cidade, dentro desse caos que vivemos e do que ela desperta em cada um. Às vezes, é a sensação de uma energia pulsante, ou uma euforia, ou uma solidão profunda”, disse Renata. Entre as obras estão fotografias, vídeos, esculturas e pinturas. “[A exposição] É multifacetada e tem um quê de laboratório sensorial também”, definiu a diretora.

A exposição São Paulo Mon Amour também vai promover debates e ciclos de cinema relacionados ao tema. A exposição é gratuita. Mais informações podem ser encontradas no site http://mube.art.br/.
Por: Elaine Patricia Cruz
fonte: Repórter da Agência Brasil

sexta-feira, 9 de março de 2012

Livro de fotografias marca 50 anos do Parque Nacional de Brasília

Represa Santa Maria
João Paulo Barbosa
Com o apoio do MMA e do ICMBio, o Parque Nacional de Brasília ganha um presente pelos seus 50 anos: um belo livro com 100 fotografias, impresso em alta qualidade numa das maiores gráficas da América Latina. Com patrocínio da Petrobras, o projeto, pensado pelo fotógrafo João Paulo Barbosa, contou com a curadoria da fotógrafa Usha Velasco e foi realizado pelo estúdio Boibumbá Design, que assinou o projeto gráfico.
A obra reúne fotos históricas da construção das piscinas da Água Mineral e fotos atuais da sua fauna e flora, dos pesquisadores e dos frequentadores do Parque. Textos de especialistas e pesquisadores completam o livro. O ex-Secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA, Braulio Dias, assina texto sobre as políticas de meio ambiente.
"O livro representa um sonho que vivia dentro de mim há 20 anos", conta João Paulo, brasiliense que fotografou 60 parques em 20 países. Além das belas fotografias, de autoria de João Paulo, Henry Macario e Olivier Boëls, a publicação traz uma reflexão sobre a importância da conservação do Cerrado.
Esse bioma, onde vivem 50% das espécies de aves e 40% dos vertebrados terrestres do Brasil, é constantemente ameaçado de extinção por monoculturas e pela urbanização. Hoje, apenas 20% do Cerrado está preservado, sendo que 1,8% encontra-se nos limites do Parque Nacional de Brasília. O ICMBio, órgão federal vinculado ao MMA, é responsável pela gestão do Parque Nacional de Brasília e de mais 309 Unidades de Conservação espalhadas por todo o País.
O lançamento do livro foi antecedido por uma exposição no Museu da República, que ficou em cartaz de novembro a dezembro de 2011. Durante a noite de autógrafos desta quinta-feira (08/03) será apresentado o video realizado por Cícero Fraga, com trilha sonora original de Luiz Olivieri. O video retrata de forma poética o fotógrafo João Paulo em ação, comentando o trabalho desenvolvido durante os últimos dois anos dentro do Parque.
Fonte: Ministério do Meio Ambiente

segunda-feira, 5 de março de 2012

“O julgamento do lobo mau”

O espaço cultural Bagagem, na quadra 40 do Setor Central do Gama, apresenta dia 18 de fevereiro o espetáculo “O Julgamento do Lobo mau” com a Cia Palavra. A peça conta do julgamento do lobo mau que é muito mal, pode se redimir. O projeto tem apoio do FAC, fundo de apoio a cultura.

 
O JULGAMENTO DO LOBO MAU é um espetáculo infantil que trabalha o contexto de um tribunal montado na floresta para o julgamento do senhor Lobo. O Julgamento do Lobo Mau trata da oportunidade que o senhor Lobo Maurício da Silva tem de estar frete a frente com um juiz. No decorrer da história alguns dos personagens prejudicados pelo Lobo serão testemunhas oculares de suas ameaças e perseguições. Uma ótima oportunidade para se tratar de temas como Bullying, preconceito e discriminação.
 ATORES:
 Tiago Sous
Visleine Reis
Ane Caroline
Ana Reis
Lorrane Alves
Lidia Ferreira      
TEXTO E DIREÇÃO: Visleine Reis
Dia: 10 de março de 2012
Horas: às 17h
Entrada franca
Classificação livre
Espaço Cultural Bagagem
Quadra 40 loja 16 setor central-Gama
Informações: 3556 6606

domingo, 4 de março de 2012

Mais de 53 mil filhotes de quelônios são soltos em Juruti

No último dia 18 de fevereiro, o Programa Quelônios da Amazônia (PQA), do Ibama, realizou a Soltura Oficial de filhotes de quelônios, no município de Juruti/PA, na Comunidade Nossa Senhora do Carmo, região do Igarapé das Fazendas. Foram devolvidos à natureza mais de 53 mil filhotes, um incremento de 112% em relação ao ano de 2010, 418% em relação a 2008 e 1.100% em relação ao ano de 2007.

O PQA funciona em Juruti por meio do Programa de Manejo Integrado de Quelônios (PMIQ), implantado como resultado da cooperação do instituto com a Alcoa e parceria da Prefeitura de Juruti. O local escolhido para a soltura foi definido por consenso pelas 25 comunidades participantes do PMIQ.

O crescimento exponencial no número de filhotes soltos demonstra o aprimoramento das metodologias de manejo e dos ajustes no monitoramento técnico e educativo realizado pelo Ibama. O PQA de Juruti dá treinamentos de educação ambiental e ensina metodologias de manejo de quelônios a representantes de cada comunidade, que passam a ser chamados Parceiros da Natureza. São beneficiadas com conhecimentos e informações sobre as práticas de conservação e manejo dos quelônios 1.254 famílias com 7.579 pessoas.

O PMIQ é uma ação governamental que tem como premissa a integração e o desenvolvimento de práticas sustentáveis por meio de projetos que despertem valores e oportunidades locais para as comunidades da Amazônia Legal. A Soltura Oficial de Quelônios é um momento de valorização das comunidades no seu envolvimento com o Programa Quelônios da Amazônia. 
 O Clubinho da Tartaruga, do Ibama, proporcionou momentos de sensibilização educacional com a oficina “Roda da Mãe Terra” e as crianças da comunidade Santa Terezinha realizaram apresentação artística musical sobre o “Canto dos Quelônios
Fonte: Ibama

sábado, 3 de março de 2012

O olhar de um mestre negro

Ilha de Paquetá        Walter Firmo/Divulgação

Será lançada na próxima segunda-feira (5), em Araçatuba, São Paulo, a exposição Walter Firmo: Um Fotógrafo Negro. A partir de registros de afrodescendentes entre anônimos e personalidades, representantes dos mais diversos setores sociais, a mostra leva à público o olhar de Walter Firmo, um dos grandes mestres da fotografia do Brasil.
Um dos destaques da exposição é intitulado Mãe Olga de Alaketo, clássico da fotografia nacional, que traz a imagem da herdeira da linhagem real africana Arô, do antigo reino de Ketu que se localizava em uma área, onde hoje existe o Benin, na África Ocidental. Importante personalidade da religião candomblé, Mãe Olga que viveu até 2005, foi laureada em 1997, com a Ordem do Mérito Cultural pelo Governo do Brasil.
O mestre das cores – Em outro registro, as lentes de Firmo se voltaram a um vendedor com sua barraca rica em formas e matizes. A imagem recebeu o título Ilha de Paquetá. A harmonia sempre presente entre os tons de pele negra e as cores vivas, além da riqueza dos detalhes de matriz africana são o que transmitem os laços entre brasileiros e africanos e a sensibilidade do artista.
“Como fotógrafo, mapeei uma geografia humana, conheci muita gente. Mas, preferi as ligadas à música, poetas e seresteiros. Descobri na sociedade negra, que eles não são invisíveis”, ressalta Firmo que vê no ato de fotografar, um papel político. “A imagem não pode ser neutra. O poder do olhar deve influenciar as pessoas, fotografar não deve ser um mero acaso instantâneo”, costuma afirmar.
Aos 75 anos e com 54 de carreira, o carioca Walter Firmo é um dos mais premiados fotógrafos do Brasil e do exterior. Tem no currículo passagem por alguns dos principais veículos brasileiros de comunicação e registra ainda, em sua trajetória, exposições, livros publicados, workshops, além de aulas como professor universitário e atuações na Fundação Nacional de Arte (Funarte), órgão vinculado ao Ministério da Cultura.
Realizada pela Secretaria de Estado da Cultura, por meio do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), em parceria com o Museu Afro Brasil, Prefeitura de Araçatuba e Secretaria Municipal de Cultura (SMC), a mostra é itinerante e deve ser levada a outros públicos no interior e litoral paulista.
Serviço
Exposição: Walter Firmo: Um Fotógrafo Negro
Quando: de 5/3 a 5/5/2012
Local: Museu Histórico e Pedagógico Marechal Cândido Rondon
Local: Rua Quinze de novembro, 247 – centro – Araçatuba
Horário: segunda das 14h às 17h; terça a sexta das 8h às 17h; sábado das 8h às 14h
Informações: (18) 3625-3392
Entrada: gratuita
Fonte: Fundação Cultural Palmares
Por: Por Daiane Souza

sexta-feira, 2 de março de 2012

Yawanawá prova da espinha de peixe

Entre os costumes e tradições mostradas pelo Yawanawá vale destacar a prova da espinha de peixe, realizada por indígenas que estejam com “desejo de vingança”. Em duplas, cada oponente dá duas investidas a toda força com talo de bananeira nas costas do outro. Ao final, a dupla exibe orgulhosamente as marcas das chibatadas e dão as mãos sinalizando que as pendências entre eles estão resolvidas. Pode...m participar da prova mulheres e crianças. Dentro do festival é possível degustar a culinária típica da etnia, cujos ingredientes predominantes são as carnes de caça e peixes, além de iguarias à base de batata, milho, banana e mamão. Também são utilizados elementos de rituais sagrados, como rapé e ayahuasca.

Para chegar à Aldeia Nova Esperança, o visitante deve pegar um vôo de Rio Branco até um dos dois municípios que ficam em volta da terra indígena e depois percorrer a BR 364, até a ponte do Rio Gregório. Na ponte, pequenos barcos fazem o trajeto até a aldeia. O deslocamento pode durar até 8h por conta das condições de navegabilidade, mas o tempo é compensado pela paisagem que proporciona a floresta, inspiração para os turistas.
Por: Matuala Martins

"Higher Ground"


 "Higher Ground" é uma canção que fala da perseverança que leva para chegar a uma consciência mais elevada. Vamos todos continuar tentando em conjunto, um só coração e uma canção de cada vez, até que todos nós alcançar a Higher Ground. Siga o link abaixo para encomendar o novo álbum e apoio Playing for Change, contando todos os seus amigos e família a aderir ao movimento em http :/ / playingforchange.com

quinta-feira, 1 de março de 2012

Projeto Violas e Outras Prosas

O Trio apresentam um repertório diversificado, passeando por ritmos do cancioneiro popular brasileiro que incluem desde moda de viola ao ijexá, passando por baião e calango. O trio interpreta temas cantados e instrumetais com viola caipira, cavaquinho e violão de 7 cordas, entremeados por prosas e causos do universo caipira. Integrantes também do Quinteto Popular Brasil, Isabella e Victor acabam de retornar de viagem à Santiago onde apresentaram um panorama de ritmos brasileiros em vários espaços culturais da capital chilena e agora convidam o violonista Nelson Latif para compartilhar o palco do "Viola e outras prosas".
Dia Sábado 03 de Março 2012
Horário- a partir das 20hs
Local. Espaço Cultural Mercado Sul Qsb 13 Bloco "B" loja 05
informações: 84257233 Walter Cedro

Lembrando que a Entrada é Franca

Lixo eletrônico

Loading...

Área de Preservação Ideológica!!!

Bem vindos a Área de Preservação Ideológica!
http://www.sitecurupira.com.br/