domingo, 30 de maio de 2010

Com licença minha gente, que o Meninagem veio é foliar!


Com licença minha gente que o Meninagem veio para brincar.
Abre alas pra criançada
que com bonecos veio alegrar.
Seu moço, Dona senhora
pessoal pode chegar!
Somos dessa terra
e de todo o lugar.
Com folia e cantoria
Com a benção de Maria
Coração apaziguado
No Divino Espírito Santo
Como Menino-Deus vamos brincar!

Com licença minha gente, que o Meninagem veio é foliar!

O grupo Meninagem surgiu em Olhos D´Água de uma brincadeira em vários encontros. Com teatro, bonecos e amigos, pais, mães e vós divertiam-se nos domingos. A meninada tomou gosto por contar estórias e representa-las. Silene, Mariana, Shalom, Léia junto com a criançada Iana, Isadora, Caetano e Mariá começaram a criar. As culturas se misturando. Entrelaçando Jabuti-Bumbá (Acre- Amazonia), Boi D`Água (GO) conversando com bonecos da vó Regina e com as cantorias do Ceará (Carroça de Mamulengos). Se juntando também, as lembranças de brincadeiras e cantigas populares que vem passando de geração em geração. A imaginação ganhou asas e a partir da recicalgem de um mundo de coisasa como: garrafa pete, caixa de papelão, aproveitamento de isopor de embalagem, retalhos e roupas velhas... Transformando em adereços e figurinose assim os personagens foram tomando forma e personalidade. Surgiu a acarruagem de invenções vulgo Trem de coisas, bem como o estandarte, as músicas , os versos, o pessoal se ajeitando e pronto. O Meninagem ficou invocado, como que pedindo para ganhar as praças, os olhos e os sorrisos do povoado. Assim pretendemos seguir com criatividade e compromisso com o meio ambienete sem jamais perder o foco com o lúdico.







sexta-feira, 28 de maio de 2010

Vem aí a 74ª Feira do Troca!

Você não pode ficar de fora. Venha conferir o belo artesanato e toda a cultura presente em nosso município.


PROGRAMAÇÃO

04 JUNHO
20:00 - ABERTURA OFICIAL
20:30 - CINEMA ITINERANTE

SHOWS
21:00 - ARTHUR e VINÍCIUS
23:00 - MENDES, MARCOS & GILMAR DOS TECLADOS

05 JUNHO
16:00 - RODADA DE LEITURA COM A PROFª NILVA BELO
17:00 - APRESENTAÇÃO TEATRAL MAMULENGO SEM FRONTEIRAS
18:00 - APRESENTAÇÃO DE CATIRA
18:30 - APRESENTAÇÃO DO CORAL DA ACORD
19:00 - CINEMA ITINERANTE

SHOWS
21:00 - WILKER
22:00 - WALMIR & WILMAR
00:00 - EDNALDO PIRES

06 JUNHO
08:30 - TRADICIONAL FEIRA DO TROCA
09:00 - APRESENTAÇÃO TEATRAL MAMULENGO SEM FRONTEIRAS
10:00 - APRESENTAÇÃO DA ORQUESTRA DE VIOLEIROS DE ALEXÂNIA
11:00 - ATRAÇÕES DE CIRCO - AGEPEL

SHOWS
12:00 - JR
Conheça Olhos D'Água

quarta-feira, 26 de maio de 2010

II Prêmio Inclusão Cultural da Pessoa Idosa

Edição Inezita Barroso

Prorrogado até 30 de junho o prazo para inscrição no 'Prêmio Inclusão Cultural da Pessoa Idosa 2010'

Divulgada pela Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SID/MinC) a prorrogação das inscrições no Prêmio Inclusão Cultural da Pessoa Idosa 2010 - Edição Inezita Barroso. O novo prazo para envio de propostas para concorrer à premiação é o dia 30 de junho.
Com recursos de R$ 800 mil e patrocínio da Petrobras, o concurso selecionará 40 iniciativas para receber R$ 20 mil. Podem participar projetos desenvolvidos nas categorias de Teatro, Dança, Música, Literatura, Artes Visuais e outras formas de expressão artística, que beneficiem diretamente aos idosos.
Esta segunda edição do edital da premiação presta uma homenagem a Inezita Barroso - carismática cantora, atriz, compositora e instrumentista brasileira. Aos 85 anos de idade e ainda em plena atividade, a artista e folclorista é reconhecida por seu trabalho de sucesso na Televisão, no Cinema, no Teatro e no Rádio.
Fonte: (Heli Espíndola, Comunicação SID/MinC)

terça-feira, 25 de maio de 2010

Elza Soares é homenageada em espetáculo de teatro

A cantora está em Salvador para participar do II Encontro Afro-Latino, e faz show hoje no Teatro Castro Alves, com as participações de Riachão e Mariene de Castro


“Eu não sabia que tinha feito tanta baderna na vida”, foi o que disse a cantora Elza Soares após assistir à peça que narra episódios da sua vida. Com muito humor e irreverência, o espetáculo musical Se Acaso Você Chegasse traz quatro atrizes na pele de Elza, expondo várias facetas de uma mulher que transformou dores em música. “A ideia inicial foi minha, porque sempre fui fã e acho que o país tem uma grande dívida com ela”, afirma Denise Correia, integrante do elenco. Realizada pela Arte Sintonia Companhia de Teatro, a peça – escrita por Elísio Lopes e dirigida por Antônio Marques – teve pré-estreia para convidados na noite de ontem (24), no Teatro Jorge Amado, e contou com a presença da homenageada na plateia.

Elza Soares está em Salvador para participar do II Encontro Afro-Latino e se apresentará hoje (25) à noite, na abertura do evento. “Eu não gosto de nada mais ou menos. A minha expectativa é sempre lá em cima. E o show é lindo”, garante a cantora. A abertura, na Sala Principal do Teatro Castro Alves, contará com a participação dos artistas locais Mariene de Castro e Riachão. Elísio Lopes destaca que Elza, além da voz especialíssima, é uma grande referência de luta e resistência: “Ela é um ícone porque contraria as regras e não tem vergonha de assumir não só sua cor, como sua postura também. E isso é importante, uma pessoa com uma identidade tão clara que não se intimida com as críticas”.

Se Acaso Você Chegasse mostra uma mulher “dura na queda”, que não abre mão de amar nem de cantar. No final da apresentação, visivelmente emocionada, Elza subiu ao palco para agradecer e entoou os primeiros versos de “Meu Guri”, música de Chico Buarque, que ganhou interpretação cheia de sentimento na voz dela. O público também demonstrou entusiasmo, como ficou evidente no depoimento da Vereadora pelo PC do B, Olívia Santana: “Estou super feliz de ver essa juventude cheia de talento e ousadia interpretando as diferentes dimensões da vida de Elza Soares”. A peça ficará em cartaz no Teatro Jorge Amado nos dias 28, 29 e 30 de maio, sempre às 20 horas.

Fonte: Fundação Palmares

domingo, 23 de maio de 2010

De 7 a 10 de junho Encontro de Turismo Quilombola

 De 7 a 10 de junho, o município de Registro na região do Vale do Ribeira, em São Paulo, receberá o I Encontro Nacional de Turismo em Comunidades Quilombolas.
O evento é fruto de uma parceria entre os Ministérios do Meio Ambiente, Desenvolvimento Agrário, Educação, Cultura e Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, através da Fundação Cultural Palmares, e do Instituto Socioambiental, com o apoio do Sebrae-SP, Instituto de Terras do Estado de São Paulo e da Prefeitura de Registro.
O objetivo do Encontro é estimular o debate e a construção de propostas de aprimoramento do turismo sustentável, pautado num movimento de valorização e fortalecimento da cultura quilombola, de seus produtos específicos, no sentido de divulgar, preservar e conservar o seu patrimônio. Trata-se de uma oportunidade ímpar para que as comunidades quilombolas troquem experiências e se preparem para o desenvolvimento do turismo.
Este I Encontro propiciará um intercâmbio de idéias e experiências entre as comunidades quilombolas, tanto as que já desenvolvem atividades turísticas, como as que possuem potencial para isso, além de possibilitar a construção de políticas que possam apoiar o desenvolvimento do turismo nestas comunidades. A programação inclui visita aos quilombos de Ivaporunduva e André Lopes.
As inscrições para o evento devem ser feitas pela Internet até o dia 24 de maio, no http://blog.mma.gov.br/turismoquilombola.

sábado, 22 de maio de 2010

Bombas, cães e balas na aldeia

As mulheres procuram proteger as crianças. O cheiro forte do gás as deixa atônitas. Não conseguem fugir da ira dos cães e policiais que procuram empurrar os índios Terena para fora do local onde vivem há mais de meio ano. O acampamento Futuro das Crianças, com mais de trinta barracos, é esvaziado em pouco tempo. Seguem as máquinas que estavam de prontidão para concluir a destruição. Em menos de meia hora barracos estão no chão e as plantações destruídas. Gritos, choros, correria...Terra arrasada. Sonhos destruídos. Dizia o professor Elvisclei: "Destruíram nossas casas, acabaram com nossas plantações, mas não passaram por cima de nossa dignidade". Quem vem dos porões da liberdade dos tempos da ditadura talvez tenha bem presente na mente cenas semelhantes. Porém em pleno século 21, em tempos em que tanto se proclama a consolidação da democracia, nas terras dos habitantes primeiros desse território, isso poderia parecer ficção. Mas é realidade. O dia 17 de maio ficará na memória do povo Terena de Cachoeirinha, município de Miranda, no Mato Grosso do Sul, como o dia da resistência e da agressão truculenta. "Com aquele cheiro insuportável, tiros, cães...a gente não sabia o que fazer...a gente não está acostumado com essas coisas...", desabafou Maria, que além disso sofreu ofensas morais, com um policial apontando a arma para sua cabeça.
O dia seguinte
Quem imaginasse encontrar um povo abatido, um dia após a expulsão iolenta, certamente ficaria impressionado com a força, coragem e dignidade de uma comunidade guerreira, consciente de seus direitos e fortalecida em sua decisão de continuar lutando pela terra da qual acabavam de ser expulsos e que já está demarcada como terra Terena. Nas falas, afloravam os sentimentos de repulsa pela violência sofrida, mas principalmente a grandeza de quem se sente fortalecido e encorajado de levar avante a luta pelos seus direitos. Os depoimentos das mulheres, dos guerreiros, das lideranças eram entrecortados com silêncios fortes e lágrimas incontidas. Foi um dia marcante na história da conquista da terra, da afirmação dos direitos e identidade, de elevação da dignidade e auto-estima da comunidade.
Em todas as falas ficou registrado sua profunda crença e gratidão a Deus por tê-los protegido, tendo apenas saído alguns com ferimentos leves. As feridas mais profundas foram as sofridas no coração, na alma, com as expressões preconceituosas e racistas proferidas pelo oficial de justiça e policiais durante a truculenta operação de despejo, conforme inúmeros relatos dos indígenas. No rosto e olhar de cada indígena Terena ali presente estava estampada a altivez e dignidade de um povo aguerrido, agredido, expulso, mas não vencido!
Egon Heck
Fonte: Cimi Regional MS

domingo, 16 de maio de 2010

Apicultores brasileiros se reunirão em Cuiabá

19 a 22 de maio de 2010


Cuiabá MTO Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá (Mato Grosso), foi o palco escolhido para a realização, entre 19 e 22 de maio deste ano, da 18ª edição do Congresso Brasileiro de Apicultura e 4º Congresso Brasileiro de Meliponicultura.
Com o tema “Abelhas: Polinizadoras do Desenvolvimento Sustentável”, o Congresso reunirá apicultores, especialistas e pesquisadores, que, além de apresentar suas experiências, irão conhecer, debater e impulsionar iniciativas inovadoras e sustentáveis para apicultura brasileira.
Meio ambiente, tecnologia e mercado são os três eixos norteadores da programação técnica do evento. Palestras, mesas-redondas, mini-cursos, clínicas tecnológicas e outras atividades vão propiciar debates sobre o papel da apicultura no âmbito local, nacional e internacional.
O destaque especial será a realização de uma ampla feira, com exposição de produtos tanto para o apicultor como para a comunidade em geral, abrangendo vários setores: alimentação, saúde e beleza, artesanato, moda e entretenimento. Um desfile temático mostrará as inúmeras oportunidades de negócios desta cadeia produtiva.
Paralelamente ao evento, está programada, para o dia 21/05, uma Rodada de Negócio com a participação de empresas âncoras nacionais e internacionais, cujo foco será o acesso a mercados diversificados.
Outros eventos paralelos programados para 18º Congresso Brasileiro de Apicultura e 4º Congresso Brasileiro de Meliponicultura são as reuniões da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Mel, da Associação Brasileira dos Exportadores de Mel (Abemel); assembléia geral e eleições da Confederação Brasileira de Apicultura (CBA); e apresentação de trabalhos científicos em painéis.

Valores das inscrições:

Inscrições antecipadas até o dia 30/04/2010
-Apicultores com carteira da CBA ou estudante = R$60,00
-Apicultores sem carteira da CBA = R$80,00
-Público em geral = R$120,00

Inscrições a partir do dia 01/05/2010
-Apicultores com carteira da CBA ou estudante = R$ 75,00
-Apicultores sem carteira da CBA = R$ 95,00
-Público em geral = R$ 140,00
Incrições

Tocando e Cantando a Música Instrumental de Brasília

Toninho Maya
Isac Gomes - Sax
Rodrigo Carvalho - Teclados
Eveton Martins - Contrabaixo
Renato Carvalho - Bateria
Participação Rspecial - João Bani - Percussão

Serviço:
Quarta-feira, dia 19.02.2010
às 21h30
CLS 411 Bloco "B" Brasília DF
Tel: 3346-5214
Ingressos: R$20,00 Inteira e R$10,00 Meia
Vaja Mais e ouça!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Festival Cultural 2010

Espaço Cultural Bagagem

Programação
18/05-terça-feira
Bagagem Cia. De Bonecos – “Circo Mulambo” às 10h e às 15h.
19/05-quarta
Bagagem Cia. De Bonecos – “Varal de Bonecos” às 10h e às 15h.
20/05-quinta-feira
Bagagem Cia. De Bonecos – “As aventuras do Capitão Catapimba” às 10h e às 15h.
21/05 sexta-feira
Bagagem Cia. De Bonecos -“A descoberta de Cabral” às 10h e às 15h.
Mamulengo Presepada- “Mateus o último homem da cobra” às 20h. (espetáculo para Adultos)

22/05 sábado
Contadora de estórias – Lilian Corgozinho às 10h.
Circo e teatro Artetude-“Circo dos Irmãos saúde” às 18hs
Azimute companhia de máscaras cômicas-“Com o diabo no corpo de Leonardo Braga às 20h. (espetáculo para Adultos)

23/05 domingo
“As caixeiras” às 18h.
“Música e poesia“ com Carlinhos Piauí e Ivan Matos às 20h. (espetáculo para Adultos)

25/05 terça-feira
Baú de contadores-“Tumba La Catumba” às 10h.
Cia. Artcum-“O boi Jatobá” às 15h.
26/05 quarta-feira
Cia. Pilombetagem-“Benedito e o boi Pintadinho” às 10h
Circo Boa Vontade-“Hoje tem Espetáculo” às 15h.

27/05 quinta-feira
Núcleo Otelo-“Cangaia às 10h.
Cia. Jorge Crespo-“Inventos alegres do Vovô” às 15h.

28/05 sexta-feira
Cia. Daqui-“As invenções de Darwin” às 10h.
Cia. Titeritar-“Pedro e o lobo” às 15h.
Grupo recorte-“ladrão de mim” às 20h. (espetáculo para Adultos

29/05 Sábado
Contadora de estórias-“Lilian Corgozinho às 10h.
Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro às 18h.
Cláudio Falcão-“As pérolas de Berenice” às 20h. (espetáculo para Adultos)

Todos os espetáculos têm entrada Franca e Classificação livre exceto espetáculos Adultos que tem classificação a partir de dezesseis anos.

“A descoberta de Cabral”
Bagagem Cia. de bonecos
O rei Dom Manuel resolveu mandar Pedro Álvares Cabral para Calicute na Índia, uma tempestade tira Cabral de seu rumo fazendo com que ele venha a descobrir uma nova terra (Brasil).
A história é contada com bonecos de vara, e pontuada pelo bobo da corte que ajuda a narrar os fatos.

ATORES: Airton Masciano
Eudes Leão
Cristiano Alves
DIREÇÃO: Airton Masciano
TEXTO: Fernando Fernandes
SOM: Leda Carneiro

“Os inventos alegres do Vovô”
Cia. Jorge Crespo
 O Boneco Vovô tem a cabeça repleta de bons sentimentos, sempre preocupado em realizar um invento útil para resolver as dificuldades de relacionamento e de compreensão entre os seres humanos.
Neste espetáculo, Vovô conduz suas ações no interior da oficina, demonstrando grande preocupação com funcionamento de sua mais nova invenção, o “relógio transmutador fibro-ótico celular”. Mas algo sairá errado com o invento, provocando grande confusão e uma boa reflexão sobre as verdadeiras intenções que o conduziram à criação desta nova máquina.
Criação e direção Geral: Jorge Crespo
Manipulador: Jorge Crespo
Trilha sonora: Luan Crespo
Produção: Cia. Jorge Crespo.
Fotos: Paulo Rodrigues
Cenografia: Cia. Jorge Crespo
Iluminação e efeitos especiais: Jorge Crespo

“As pérolas de berenice”
Claudio Falcão
 Em "Pérolas de Berenice", o ator, autor e diretor Cláudio Falcão diverti seu público com as mineirices de Berenice, mãe da irreverente Mary e patroa da engraçadíssima Goreti. Em "Pérolas de Berenice" a personagem Berenice em uma conversa descontraída relata ao público as aventuras e desventuras vividas por ela em algumas de suas viagens dentro e fora do território brasileiro. Com suas histórias, Berenice diverte e alerta o público sobre as dores de cabeça que uma simples viagem pode nos trazer, como por exemplo, uma viagem de ônibus para o Nordeste.
Ator: Cláudio Falcão
Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro
Com a proposta de criar um identificador cultural em Brasília, Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro inventou seu próprio mito, levando em suas apresentações elementos do cerrado para o imaginário popular. Com um som peculiar batizado de Samba Pisado, o grupo une o terreiro e o picadeiro numa singular e moderna brincadeira. O samba pisado nasceu da mistura das batidas dos maracatus com as pisadas do cavalo-marinho. Tocado pela junção de vários instrumentos tradicionais, se faz o seu som. Um ritmo único, criado e tocado na capital do país.

Bembé do Mercado homenageia Mãe Lídia

Este ano, a tradicional festa de celebração da Abolição da Escravatura, Bembé do Mercado, homenageará Mãe Lídia, filha de Oxalufan, uma de suas maiores incentivadoras. O evento - que este ano comemora 121 anos - acontece em Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano, de 12 a 16 de maio.

Nesse dia, Mães de Santo levarão suas oferendas para Iemanjá, a rainha do mar, agradecendo a grande mãe todas as benções que ela dá. Os presentes serão colocados no mar e em seguida começarão os cantos para celebrar Oxalá e Urumilá, pedindo paz para a humanidade.
Além da manifestação religiosa, que contará com mais de 40 terreiros, no Mercado de Santo Amaro haverá apresentações de Maculelê, Capoeira, o Samba de Roda Raízes de Acupe, Samba de Saubara, Samba Chula de São Brás, Samba de Nicinha, e shows de Roberto Mendes e banda Baianos Luz. A Festa também oferece aos visitantes barracas de comidas típicas do Recôncavo como a maniçoba, feijoada, sarapatel e maturi.
A comemoração de Bembé do Mercado teve início no dia 13 de maio de 1889. Foi um grito de liberdade dos terreiros de candomblés que durante três dias bateram seus tambores para os Orixás para marcar a assinatura da Lei Áurea, que acabou com a escravidão no Brasil.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

“Mamulengo BSB ou O dia em que o Brasil encontrou o consertadô de cacunda”

Espaço Cultural Bagagem
Com

Grupo Pirilampo de Teatro de Bonecos e Atores
Atendendo ao chamado para a construção da capital Brasília, Zé sai da sua terra e em busca de novas chances de trabalho, atende a convocação do próprio Juscelino, o presidente da República. Teatro de Bonecos.
Ficha técnica
Elenco: Kaise Helena e Guilherme Carvalho
Texto : O Grupo
Dia: 15/05/2010
Horas: 18:00 horas.
Classificação Livre Entrada Franca
ESPAÇO CULTURAL BAGAGEM
Quadra 40 Setor Central-Gama
MAIORES INFORMAÇÕES: 3556-6605

O GRITO NO ASFALTO

O asfalto repica o eco do andar apressado de Valdelice com Aramy no colo. O formigueiro humano já não mais assusta. O centro de São Paulo é o espaço de pedido de socorro. “Temos a certeza de que aqui em São Paulo tem pessoas com alma grande para ouvir nosso clamor e pedido de socorro. No Mato Grosso do Sul não temos mais para quem recorrer...” desabafou uma das lideranças Kaiowá Guarani, na manifestação no Ministério Público Federal.
Mãe guerreira
“Como mulher fico orgulhosa e agradecida, diante da manifestação dessa mãe, indígena, mulher e guerreira. É dignificante para São Paulo ouvir o grito forte de vida, resistência e crença num futuro melhor trazido por vocês Kaiowá Guarani”, disse a antropóloga Lucia Rangel, diante do depoimento contundente dos representantes desse povo no pátio do Museu na PUC.
Uma das estranhezas de Valdecile era o de não ver crianças naquela multidão de gente. Não via companhia para a pequena Aramy que carregava no colo o dia inteiro. Imaginava estar num cenário de guerra, em que as crianças deveriam estar guardadas em algum refúgio.
Como filha do cacique Marcos Verón, não cansou de chamar atenção para as barbaridades cometidas contra seu pai e repetidas em dezenas de vidas matadas na luta pela terra Kaiowá Guarani, nos últimos anos. Lembrou em todos os momentos o covarde assassinato dos professores Guarani, Genivaldo e Rolindo, cujos familiares, pai e irmão, estavam presentes nesta delegação indígena em São Paulo. Lamentou que o julgamento dos assassinos de seu pai tivesse sido remarcado apenas para o dia 21 de fevereiro de 2011, sob a alegação de que a justiça federal de São Paulo não tem mais dinheiro para fazer o julgamento esse ano. “Isso é uma vergonha. Se fosse um fazendeiro morto pelos índios, o julgamento e condenação teria sido em seguida e os índios estariam mofando na cadeia...”
Quando Valdelice com Aramy no colo, chegaram à rodoviária de Dourados, juntamente com os restantes da delegação, recebeu um vaso de flores brancas, como homenagem singela a todas as resistentes e guerreiras mães Kaiowá Guarani no Mato Grosso do Sul. Com a certeza da missão cumprida dentro da luta que continua. Foi abraçar suas filhas e família na Terra Indígena de Dourados, nesse dia das mães.


Filhos da luta
“Enquanto tiver um Kaiowá Guarani de pé, a luta continuará”, afirmou Apikaverá, diante de uma platéia atenta. Os estudantes e professores da PUC de São Paulo que por mais de duas horas viram cenas em video e ouviram o depoimento lideranças, não apenas ficaram emocionadas e indignadas, mas certamente estarão buscando alguma forma de apoio e solidariedade com essa luta tão desigual mas dignificante desse povo.
“Chega de matarem nosso povo!Resistimos por mais de 500 anos e muito mais do que isso ainda vamos resistir!”, disseram as lideranças no memorial da Resistência. “Estamos vivos”, clamaram, diante dos representantes de movimentos e lutadores sociais, especialmente do movimento negro. Ouviram o compromisso dos presentes em colaborar com a luta indígena “pois a luta de vocês é também a nossa luta, contra o latifúndio, contra a exploração e opressão, no campo e na cidade. Aceitara o convite de visitarem as aldeias Kaiowá Guarani. Ficaram de viabilizar uma delegação, juntamente com outras instituições de Direitos Humanos e combate à desigualdade racial.
Ao retornarem a seus espaços de vida, luta e resistência estão convencidos de que semearam gritos de socorro e esperança para a reconquista de suas terras e seu futuro com dignidade. Só lamentam não terem sido recebidos pelos desembargadores, pois é daí que partem muitas decisões com relação às suas terras. “Fomos muito bem recebidos em São Paulo. Agradecemos a todos e a todas as manifestações de solidariedade e apoio à nossa causa. Acreditamos que nosso grito no asfalto se transforme em sementes que farão brotar mais vida em nossas terras reconstruídas.
Egon Heck
Movimento Povo Guarani Grande Povo
Dourados, 10 maio de 2010

A Língua Nossa de Cada Dia

"São reconhecidos aos índios,sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens."
Constituição Federal do Brasil
No ano de 1.500 vivia-se uma verdadeira Torre de Babel. A chegada dos portugueses ao Brasil não deve ter sido muito fácil. As aproximadamente 1.270 línguas faladas pelos diversos indígenas que aqui habitavam devem ter confundido os colonos monolíngües, que forçosamente “ e violentamente á “ impuseram a sua singularidade lingüística.
Contribuindo para que nós, nativos pacíficos, tornássemo-nos seres monolíngües. Nós não, alguns de nós.
Desses alguns, os povos indígenas se incluem. Atualmente temos no Brasil 210 línguas, 180 são línguas indígenas faladas no Brasil que se mantém a troco de muita luta e resistência. Algumas delas são faladas em Mato Grosso do Sul, a com mais falantes, trata-se da língua Guarani. No estado mais de 50 mil pessoas são indígenas da etnia Guarani e Kaiowá.
Depois de muita luta para equidade social, os vereadores de um pequeno município do extremo sul do estado vem revolucionando a Casa de Leis. Primeiro por ser presidida pelo vereador indígena Ezaul Martins e então, pela honesta atitude de realizar uma sessão especial da câmara de vereadores de Tacuru MS na comunidade indígena Sassoró, no dia 19 de abril de 2010. Essa sessão contava com uma pauta específica e oportuna: a cooficialização da língua Guarani naquele município.
Com um projeto de lei municipal assinado por todos os vereadores e com o aceite do prefeito municipal, Tacuru tornou-se o primeiro município bilíngüe do estado, o segundo do Brasil; o primeiro trata-se de São Gabriel da Cachoeira (AM) que em 2004 cooficializou línguas indígenas “ colocando-as em paridade com a língua oficial do Brasil “ a Língua Portuguesa. Vale lembrar que dos quase dez mil habitantes, trinta por cento são indígenas Guarani.
No mesmo dia, dia 19 de abril, em outro pequeno município no mais extremo sul do estado, fronteira seca com o Paraguai, marcado por fatos de extrema violência contra os Guarani de lá, Paranhos tem aproximadamente onze mil habitantes, dos quais quarenta por cento são Guarani. Neste município, quatro corajosos vereadores lutavam pela aprovação da lei de cooficialização municipal da Língua Guarani. Vereadores que lutam por igualdade e justiça social. A cooficializaà§ão veio, uma semana depois, pós dezenas de sessões frustradas. Agora esperam pelo aceite do prefeito.
A cooficialização da língua Guarani no estado reflete uma luta do povo indígena por igualdade, educação bilíngue, desenvolvimento rural e econômico, saúde e serviços públicos para todos e todas. Trata-se do mínimo para alcançar a tão sonhada justiça social, a tão falada igualdade de direitos entre os povos e o respeito a diversidade cultural.
No meio a esta revolução lingüística, um fato deve ser lembrado: o julgamento de Marcos Verón, cacique indígena assassinado a pauladas na cabeça no ano de 2003 em MS. Após a transferência do júri de Dourados para São Paulo, por motivos de ações anti indígenas latentes no estado, o julgamento foi cancelado pela segunda vez.
A primeira por motivos relacionados a saúde do advogado dos réus e agora, no dia quatro de maio, porque os procuradores se retiraram após a negação da juíza responsável de um interprete da língua Guarani indicado pelos indígenas.
Ora bolas! Somos todos monolíngües? Essa fragilidade do judicià¡rio pode vir a prejudicar a pluralidade étnica, lingüística do Brasil. O Guarani é considerada uma das línguas oficiais do Mercosul; é língua oficial no Paraguai. É uma língua rica em variações, geograficamente plural. E o Brasil? Até quando ficará para trás sujeito a cometer deslizes nos direitos humanos?
A língua Guarani vem (re) conquistando seu espaço a cada dia. Uma atitude desta trata-se de um retrocesso para as políticas lingüísticas do país. Pierre Clastres registrou as (belas palavras) dos índios Guarani há anos. Nós ocidentais, falamos português por que não tivemos força, oportunidades de resistir. Devemos respeitar a luta, o histórico de resistência indígena que hoje letra seus pares em suas línguas maternas.
Quando você pergunta em português o nome de uma criança Guarani no estado de MS, ela titubeia a responder, agora se é perguntado em guarani, em centésimos, milésimos de segundos temos a resposta. O MEC tem avançado na proposta de Educação Escolar Indigena Bilingue, o que reforça a singularidade lingüística destes povos.
Não destruam o mosaico cultural que é o Brasil. Não unifique este povo marcado pela diversidade. O imaginário de uma língua, uma nação, há muito vem sendo desconstruído.
Ao Judiciário, por favor, respeitem a língua nossa de cada dia. (E de cada um, de cada povo, de cada gênero, raça e etnia.)
Por Lauriene Seraguza: gente, educadora, letrada e estudiosa das línguas indígenas do Brasil.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Museu da República recebe exposição sobre diáspora africana

A exposição "O Brasil Africano: Diásporas, Quilombo, Território, População, Mapas e Fotos" será aberta no próximo dia 12, na galeria térrea do Museu Nacional da República. Com pesquisa e organização do professor da Universidade de Brasília, Rafael Sanzio Araújo dos Anjos, a mostra é promovida pelo Museu, pela Universidade e pela Petrobrás.

Serão apresentadas fotografias em preto e branco em grandes formatos, mapas cartográficos e o vídeo documentário: O Brasil Africano. Esse material é fruto de uma pesquisa realizada em várias comunidades e espaços africanos no Brasil, em arquivos públicos de instituições em países da Europa e África. Parte do material de pesquisa é do livro Quilombos: Geografia Africana-Cartografia Étnica-Territórios Tradicionais, do professor da UNB.
A mostra é uma das atividades fundamentais do projeto de geografia Afro-Brasileira: Educação e Planejamento do Território, desenvolvido no centro de Cartografia Aplicada e informação geográfica da UNB. Tendo como principal objetivo apresentar as interpretações geográficas e históricas nas estruturas existentes na formação do Brasil e da sua população, tomando como referência os aspectos da herança africana no Brasil.


As visitas podem ser orientadas caso sejam agendadas.
Serviço;
Abertura: 12 de maio
Local: Salão Térreo do Museu Nacional da República
Período: de 12/05 a 13/06
Horário de visitação: terça a domingo das 09h às 18h
Informações: (61) 3307-2393/9962-3849

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Mulheres de Chico, a banda vai passar e balançar Brasília.

O bloco Mulheres de Chico. Um misto de escola de samba, coco, ijexá, jongo, marchinha e funk carioca.
se apresenta na AABB não da perder!
Dia: 8 de maio
Local: AABB
Hora: 21h
Informações: 9223 1332 – 3366 1440

terça-feira, 4 de maio de 2010

“A Flor do Sertão” Com Cidade dos Bonecos

Espaço cultural Bagagem
Apresenta:

A Flor do Sertão é um espetáculo que conta a saga do personagem Chumbinho (aspirante do bando de lampião) que tem a incumbência de resgatar uma menina chamada” Flor”que foi seqüestrada da fazenda de sua mãe pelo então coronel Hades. No decorrer de sua missão Chumbinho irá encontrar vários personagens e muitos desafios. Essa história além de ser um mergulho na cultura popular nordestina e suas tradições, também mostra a diversidade cultural que ajuda a compor e a consolidar a identidade de um povo, de um país, de uma nação.

Ficha técnica

Texto e direção: Domingos Rodrigo
Manipulação: Douglas Antonio, Domingos Rodrigo, Bianca Vieira
Sonorização: Kleber Barbosa
Data: 08/05/2010
Horas: 18h.
Entrada franca
Classificação livre

Espaço cultural Bagagem
Quadra 40 loja 16 Setor Central Gama
Informações: 3556 6605

Lixo eletrônico

Loading...

Área de Preservação Ideológica!!!

Bem vindos a Área de Preservação Ideológica!
http://www.sitecurupira.com.br/